É ler para crer!

Posts marcados ‘dissidências’

A obra que é de Deus não podereis desfazê-la

Igreja remanescente

Verso áureo: “Mas se [esta obra] é de Deus, não podereis desfazê-la para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus” – (Atos 5:39)

“Esta (CCB) é a verdadeira graça; a única Obra de Deus na terra; mas como existe a moeda verdadeira, também existe a falsa… Alguns que foram nossos irmãos, pecaram de morte ou não entenderam o que é esta graça, por isso não se contentaram em serem ovelhas  fizeram-se pastores – mas só há um pastor: Jesus Cristo – Deixaram o verdadeiro caminho e fundaram igrejas, possuídos pelo espírito de imitação, mas esvaziados do Espírito da graça. São cegos guiando cegos; não entrarão no céu, e impedirão muitos de entrar porque conhecendo a verdade lhes darão a mentira” – Trecho comum em tantas pregações que eram costumeiras e ouvi durante estes anos servindo a Deus na Congregação Cristã no Brasil.

Excetuando o Ministério de Jandira que ocorreu na era da Internet, a Congregação Cristã no Brasil já sofreu outros cismas que, apesar de todo trauma e da ferida que abre uma dissidência, não repercutiram entre os seus membros. Vez ou outra chegava uma vaga notícia,  praticamente viraram mito, foram esquecidos pelos mais velhos e totalmente desconhecidos dos membros mais novos.

Dentre estes “hereges” está o ancião NILSON SANTOS que no ano 1967, na cidade de Telêmaco Borba – PR, fundou a Igreja Cristã Remanescente Primitiva – ICRP.

Nos últimos dias recebi notícias e vi fotos da ICRP: Mantiveram todos os costumes litúrgicos da CCB e peculiarmente praticam o rito do “lava-pés”, as irmãs tocam na orquestra e no seu hinário “Cantor Remanescente” conservaram hinos do hinário CCB Livro 3.

Preferiu-se fazer acusações e julgamentos aos dissidentes como vimos na “Circular Jandira” incitando o ódio e colocando irmãos contra irmãos, quando tinha-se a opção de despedi-los em paz como fez Gamaliel:

33. Porém, ouvindo eles isto, se enfureceram e deliberaram matá-los.
34 .  Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que, por um pouco, levassem para fora os apóstolos;
35.   e disse-lhes: Varões israelitas, acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens.
36 .  Porque, antes destes dias, levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada.
37.  Depois deste, levantou-se Judas, o galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos.
38.  E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará,
39.  mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la, para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus.
40.  E concordaram com ele. E, chamando os apóstolos e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem no nome de Jesus e os deixaram ir.
41. Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus.
42.  E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a Jesus Cristo.
(Atos dos Apóstolos 5)

A dissidente não se desfez, seguiu independente e prosperou. Seguindo o raciocínio, A ICRP é obra de Deus.

Ainda não conheci ICRP, mas entrou desejo de conhecer esta e outras congregações dissidentes, bem como a Assembléia Cristã na Argentina. Quando tiver oportunidade não hesitarei em visitá-las mesmo sob a advertência da carta circular de maio/2011 que poderei ‘perder a liberdade’.

Não temerei saudar a estes porque só estarei adiantando o que faremos nos céus – Regozijarmos sem distinção de placa. E para qualquer irmão que vier surpreso me falar: “Vimos um povo adorando como nós e cantando os nossos hinos, não podemos permitir” – darei a conhecida resposta:

“Não os proibais, aquele que não é contra nós, é por nós” (Lucas 9: 50)

Veja o vídeo onde tocam um hino do hinário 3:

Anúncios

Sites, pra que te quero?

Há muito, os membros da Congregação Cristã no Brasil – CCB reclamam por um site oficial.  A CCB reluta para servir-se desta mídia; manifestou-se uma única vez para emitir um esclarecimento. Ao contrário, todas as suas dissidências e o ministério de Jandira anteciparam-se a ela e possuem seus sites oficiais.

No entanto, os sites não vem cumprindo seu propósito que é de prestar informação oficial e evitar a guerra de informação.

Vejam este caso: O conselho de anciães do Brás emitiu uma circular onde noticia que os anciães do Ministério de Jandira cometeram atos contra a ‘nossa’ sã doutrina; denuncia que estão usando ilegalmente o letreiro e o hinário da CCB; e os excomungam sob a acusação de apostasia. (Ver a circular)

Alguns blogs e sites geridos por membros da CCB já manifestaram repúdio a esta circular que vem incitando-nos ao desdém e desafeto para com “Estes, e os que os seguem”. Mas, ao exemplo da matriz que sempre preferiu o silêncio,  Jandira e AMCCB não se pronunciam oficialmente por seus sites e desta forma deixa crescer os comentários e a desconfiança contra eles.

Talvez justifiquem-se que o fazem pela paz e para evitar mais polêmica, mas pronunciamento não é enfrentamento. A igreja tem direito ao esclarecimento. Somente a CC Apostólica se manifestou oficialmente. Veja resposta à Circular do Brás.

Ora, já que criaram seus sites, use-os.

Com a palavra:

Ministério Jandira e Associação dos Membros-AMCCB

Dissidência – um adeus que não se pode repetir (Entrevista com ancião da CCA)

Dissidência é um adeus que poderia ter sido evitado. Histórica e recentemente estão ocorrendo na Congregação Cristã no Brasil-CCB, mas continuam ignoradas pela maioria do seus membros. A liderença da igreja tem tratado com indiferença tais cisões; mas se o silêncio não as repercutem também não as evitam.

O dissidente comumente é visto como um perturbador da comunhão jamais como um pacificador buscando uma alternativa para prosseguir sua caminhada com paz de espírito. Dissentimentos ideológicos; vaidades pessoais; abusos e omissões corporativistas – o que estaria provocando estes desligamentos?

A intransigência é a mãe das dissidências. Buscar compreênde-las poderá fornecer meios para impedir que se repitam provocando novas divisões no corpo de Cristo, e talvez, converter o adeus em um ‘até qualquer dia’.

Neste propósito contatamos o irmão João Paulino da Silva,  ancião na Congregação Cristã Apostólica-CCA que gentilmente e de bom ânimo nos concedeu esta entrevista:

(mais…)

Desvendando as irmãs CRIS e LICA

Você não me é estranha. Às vezes vemos uma pessoa e ficamos com a impressão que a conhecemos. Gestos, expressões, vestuário tudo é tão familiar que não resistimos, nos aproximamos e perguntamos – Eu não te conheço de algum lugar? – Temos então a confirmação ou a negação – Acho que não, deve estar me confundindo com outra pessoa (ou com minha irmã).

Prazer em conhecê-la, encantado. O relato de Biano é outra experiência bem comum. Uma mulher apresenta-nos sua irmã mais nova ou mesmo sua filha, ficamos impressionados com a semelhança entre as duas que nos encantamos; sempre que virmos uma, lembraremos da outra. A mesma reação tem quem se depara com um templo da Congregação Cristã Apostólica – CCA, similares aos da Congregação Cristã no Brasil – CCB.

A irmã mais nova. A Congregação Cristã Apostólica – CCA foi fundada por Antônio Silvério Pereira, aos 11 de novembro de 2001 em Aparecida de Goiás-GO. Resulta de uma fusão entre membros da Congregação Cristã no Brasil e da Igreja Renovação Cristã pastoreada por Fleury Rodrigues de Oliveira.

Biano. Representa o membro comum da CCB que fica encantado ao conhecer a CCA, pois vê nesta, a glória da sua igreja.

Ganhando a simpatia. O membro da CCB sente-se em casa visitando a CCA, dessa forma sua adaptação é automática se optar transferir-se, o trauma por que passa o ‘ex-ccbiano’ para acostumar-se noutra denominação, ali não existe. Pudera, os irmãos que migraram daqui para lá, conservaram a liturgia, os costumes e a padronização das casas de oração. O rebatismo não é usual, assim outros evangélicos vêem a LICA com mais simpatia. As incorporações feitas deram maior dinamismo ao culto, com isso a adaptação deles também é mais fácil que na CCB.

O que ela tem que eu não tenho? Quando a mais nova integrante de uma galera recebe mais atenção, a primeira fica com ciúme. Respondendo a questão, a CCA tem irmãs tocando na orquestra, tem conselho de ética e disciplina para o ministério, programa sistemático de ensino e evangelização, canais oficiais de imprensa que garantem acessibilidade às informações, louvores espontâneos.

Louvores espontâneos. O que é isto? Por exemplo, um irmão pode com o violão cantar um hino, as irmãs podem se organizar em trios ou quartetos ou até mesmo recitar um texto da Bíblia. Nada que a CCB já não tenha feito.

Este vestido é meu. Na verdade a ‘roupagem’ da CCA é a reforma sugerida e esperada para a CCB. O que os anciães desta vetaram, os daquela aprovaram. Os pensadores da CCB vêem suas propostas ignoradas aqui, benquistas lá.

As coisas no baú. Uma moça põe no baú quinquilharias e roupas que não quer mais. Aí vem a irmã adolescente e se encanta com tudo aquilo. Ao ver a caçula abafando com seus pertences a moça esbraveja – Quem mandou mexer nas minhas coisas? A CCB não dá importância para os ‘parados’, ‘desviados’ e ‘pecadores’; A CCA vem e os arremata, porém neste caso, a CCB não parece se incomodar ao exemplo da moça. Ao invés de dizer –“São meus. Quero de volta” – diz com seu descaso – “Não me servem mais. Pode ficar com eles”.

O arranjo do vestido. A flor, o ornamento que deixava o vestido mais bonito, é o dom de línguas. As inovações teológicas, o liberalismo e o antropocentrismo, seduzem cada vez mais as igrejas que acabam aderindo aos modismos perdendo ‘a primeira caridade’. A CCA na contra-mão, vem dar novos ares ao pentecostalismo clássico.

Enquanto igrejas tradicionais rendem-se à teologia nova, esta nova igreja entrega-se à teologia tradicional.

Não fale com ela. Em breve haverá um templo da CCA pertinho de você. A conjuração de Cris são os ensinamentos que poderão vir proibindo-nos de visitá-la.

Fazendo as pazes. “Rogo-vos que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo, um só Espírito, fostes chamados em uma só esperança; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” (Ef 4:1-6).

Conclusão. Há um só corpo, uma só fé, uma só esperança e duas Congregações. CCA e CCB são duas igrejas distintas, porém um só povo.

Reflexão. As aparências enganam mas às vezes confirmam. Duas pessoas bem diferentes que não se conhecem, podem descobrir por um exame de DNA que são irmãs. Poderão duas igrejas distintas ser expressões da mesma ‘Obra’ que possamos igualmente considerá-las?

Principal diferença. A CCA declara-se unicista, na sua confissão de fé substitui o termo ‘pessoas’ por ‘manifestações’ divinas, enquanto que a CCB crê na Trindade.



Fotos do site ccbverdade

As irmãs CRIS e LICA

Belas, cativantes e parecidíssimas. Você vai conhecer a história de Cris e Lica, se encantar e descobrir o que estas irmãs tem a ver com você.


Cris & Lica

Meu nome é Fabiano Cristão da Cruz, acostumava assinar Fabiano C. C., daí a galera inverteu e começaram a me chamar de ‘CCBiano’, agora ficou só Biano. Já aconteceu contigo de uma pessoa conhecida te apresentar sua irmã mais nova e você ficar espantado com a semelhança entre elas? A similaridade das duas ser tão gritante que acaba enxergando uma na outra e vislumbrando no presente desta o passado daquela? Aconteceu comigo.

Dia desses, Cris, jovem exuberante e bela, a mais popular da galera, resolveu apresentar sua irmã mais nova para a turma toda. LICA pareceu-nos tímida na primeira semana, mas em pouco tempo havia conquistado a simpatia de todos. Começou a se destacar e despertar admiração dos colegas e ciúme na irmã.

Cris que sempre fora o centro das atenções, começou a encarar a outra como uma rival, suas atitudes tornaram tão infantis a ponto de conjurar-nos – Quem for meu amigo não converse mais com ela. Como não fora atendida fazia-se de coitadinha e nos chateava – Gente o que ela tem que eu não tenho?

Pior foi quando a novata apareceu usando um dos vestidos da primogênita. Houve uma pausa na festa, olhos arregalaram, queixos caíram, os rapazes conferiram seu visual e as moças beliscavam seus namorados. Todos ficaram encantados com a beleza de LICA que fazia lembrar de Cris quando ainda era uma caloura. Varias vezes testemunhei pessoas as confundirem e as irmãs com delicadeza responderem – Eu sou fulana, você está me confundindo com minha irmã.

Ao perceber o impacto que LICA causara, nossa velha amiga a scaneou com os olhos e exclamou incrédula e indignada Este vestido é meuencarando a irmã sem disfarçar a raiva se retirou em seguida.

Chegando em casa foi para o quartinho de costura e deparou-se com o baú de quinquilharias destrancado, conferiu e descobriu que outros acessórios ajudaram na produção de LICA. Ainda remexendo o baú achou uma foto sua com o tal vestido, foi quando a raiva passou um pouco – Deixei de usar este vestido por que achava tão cafona esta flor – relembrou – Mas hoje percebi que este arranjo é que o deixa tão belo.

Neste momento chega LICA que viera atrás da irmã interrompendo suas lembranças. Ergueu-se a outra e esbravejou Quem mandou mexer nas minhas coisas?

Mas você não as usa maisrespondeu assustada a irmã, ora querendo endurecer, ora amolecer. Então notou a foto, nas mãos de Cris, que se amassou segurada com força. Prosseguiu LICA – Sempre te admirei, desde pequena quis ser igual a você, por isso peguei o vestido. A confissão mudou o semblante da irmã, a discussão estava encerrada.

– Oh! Minha irmã vem cá, me dá um abraço. Eu também te amo muito.

– Então não está mais zangada? Perguntou a adolescente.

– Não. E quer saber? Você ficou maravilhosa, pode ficar com ele que farei outro igualzinho para mim.

E assim termina a história dessas duas irmãs. Resta-me relatar como fomos apresentados a LICA.

CRIS LICABIANO – GALERA

Olá, galera!

– Olá. Como vai?

Olhem… se não é a nossa velha amiga CRISTIANA BRASILEIRA.

Ai, que horror! Já disse para me chamarem de Cris. Tá me chamando de velha por acaso?

Velha!.. Eu?.. Magina, você nem é centenária ainda.

Olha gentem, não é a minha cara?

A cara de uma e o foucinho da outra.

– Como você é grosso BIANO, seja mais cavalheiro.

Teu desejo é uma ordem senhora galera. Qual é a graça da senhorita?

É JESUS.

Bobinha, a graça sou eu. Ele está perguntado pelo seu nome.

APOSTÓLICA, mas podem me chamar de LICA.

Dissidências – Declaração de Guerra ou Pedido de Paz?

Comumente vemos o dissidente como um perturbador ou desordeiro, jamais como pacificador. Nesta abordagem veremos que no meio humano, as divergências são naturais e que precisamos agir conforme nossa consciência para termos paz.

dissidente

Leitura Bíblica recomendada:

“E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão, e os pastores do gado de Ló; E disse Abrão a Ló: Ora não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque irmãos somos. Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda” (Gn13:7-9).

“E tal contenda houve entre eles, que se separaram um do outro. Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. E Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu, encomendado pelos irmãos, à graça de Deus” (At 15:39,40).

Houve contenda. Onde estiverem dois ou três reunidos, haverá contendas. Divergências de opiniões podem criar dissidências e afastar os crentes. Até mesmos velhos amigos.

Irmãos somos. Embora seus nomes não mais constem no rol de membros da mesma igreja terrena, permanecerão escritos no livro da vida no céu. Apesar de combaterem separados na igreja militante, celebrarão unidos com a igreja triunfante.

Aparta-te de mim. A intransigência é a mãe da dissidência. A Graça de Deus é imensurável e nossa compreensão limitada. Quando as idéias confrontam-se, os homens repelem-se; argumentam e refutam, discutem ou ignoram, deliberam ou calam, acatam ou desatam.

Se a direita escolheres… Na encruzilhada temos que decidir. Direita ou esquerda, o dilema não é fácil. Mas pense: “é melhor viver dissidente, do que viver descontente”; “Porque o reino de Deus é justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rm 14:17). Por que ficar no grito se tens livre-arbítrio? A escolha é sua!

…Irei para a esquerda. Não vivamos com ressentimento. Aquele que disse: “aparta-te de mim” foi o mesmo que intercedeu depois;  sigamos o exemplo.

“De maneira que cada um dará conta de si mesmo a Deus. Assim que não julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não por tropeço ou escândalo ao irmão. Mas se por esta causa contrista teu irmão, já não andas conforme o amor” (Rm 14:12,13,15).

Seguindo a consciência. Martinho Lutero disse uma vez: “não é certo nem seguro ir contra a consciência”. Que posso eu dizer? Se não que a Bíblia é nossa maior conselheira. Ela nos adverte: “Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo” (Rm 14:5).”Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus? Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas…está condenado, porque não é por fé; e tudo que não é de fé é pecado” (Rm 14:22,23).

Elos partidos. A família Spina é uma das mais tradicionais da CCB; JOEL SPINA rompeu o elo dessa dinastia. MARCELO FERREIRA (autor: Por trás do véu), seu livro foi o porquê da saída, já JOSÉ MARQUES DO AMARAL (autor: A igreja do véu,) sua saída foi o porquê do livro.

Dividindo ou mutiplicando? O ancião JOSÉ VALÉRIO estabeleceu a Congregação Cristã Renovada – CCR. A Congregação Cristã Apostólica – CCA foi fundada pelo saudoso irmão ANTÔNIO SILVÉRIO PEREIRA. No Estado de Santa Catarina temos a Congregação Cristã do Sétimo Dia – CC7 iniciada pelo ancião LUIZ BENTO MACHADO.

Fizeram sua escolha. E o que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Ivo Pontalti, David Ferreti, José Benedito Apolinário, Nilson Santos, Aldo Ferreti, e tantos outros, os quais pela consciência deixaram este arado para trabalhar noutros campos.

Conclusão. A dissidência não é uma declaração de guerra, mas um meio para prosseguir em paz.

Amor ‘placônico’. Placa de igreja não salva nínguém, ela própria fica para o lado de fora. Muitos crentes com amor ideal por seu grupo, tornaram-se verdadeiros outdoors de igreja e deixaram de reluzir o amor de Cristo. Amam a placa e são implacáveis com os seus divergentes. Fazem propaganda do letreiro, mas não propagam o evangelho. Exibem o crachá do exclusivismo e não vestem o uniforme da piedade.

Poderá gostar também de: ccbvirtual.blogspot.com.