É ler para crer!

O batismo e o novo nascimento

batismo

Verso áureo: “Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus” – (João 3:5)

Das três mudanças nos pontos de doutrina da Congregação Cristã no Brasil – CCB, que podem ser verificadas no novo hinário, a menos perceptível está no artigo 5º:

Hinário 4: “5. Nós cremos que a regeneração, OU o novo nascimento, só se recebe pela fé em Jesus Cristo, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação. Os que estão em Cristo Jesus são novas criaturas. Jesus Cristo, para nós, foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção”

Hinário 5: “5. Nós cremos que o novo nascimento E A regeneração só se recebem pela fé em Jesus Cristo, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação. Os que estão em Cristo Jesus são novas criaturas. Jesus Cristo, para nós, foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção”

Ref.: (Romanos, 3:24-25; I Coríntios, 1:30; II Coríntios, 5:17)

Na redação original regeneração e novo nascimento é uma coisa só, a mesma obra recebida por meio da fé. Enquanto que na redação atual foram apresentados como coisas diferentes, duas obras distintas.

Desde a primeira vez que li o artigo revisado fiquei receoso dos motivos que levaram a tal mudança, me posicionei contra e pouco a pouco fui interpelando um perguntando a outro, e aquilo que eu temia foi se confirmando pela cultura oral que há em nosso meio.

Regeneração e novo nascimento são sinônimos, então porque se distinguiu um do outro e inverteu-se a ordem? Embora poderão encontrar textos rebuscados com outra opinião, a explicação é simples! Os revisores entendem assim:

Novo nascimento = batismo
Regeneração = conversão

Pode haver novo nascimento sem regeneração? Evidente que não, mas para a CCB sim, isto porque prega um batismo salvífico e precisou adequar o artigo de fé à sua prática.  Para a CCB o batismo é um sacramento tal como na Igreja Católica e suas águas têm o poder de lavar os homens de seus pecados.

[Sacramento é o sinal sensível e eficaz por meio do qual a graça é dispensada sobre os homens. O sacramento confere sacralidade (purifica; produz santificação) em certos momentos e situações da vida. Os ritos sob os quais os sacramentos são celebrados são os canais por onde flui a salvação.]

A diferença é que o nosso sacramento não é tão eficaz quanto diz ser o católico: “Há irmãos que são batizados mas ainda não são convertidos”,  todos já ouvimos – e comprovamos – isto, daí neste caso o Espírito Santo precisa “completar a obra”, só então veremos transformação na pessoa.

Porque ensinamos que o novo nascimento ocorre somente por ocasião do batismo, e pelo fato de vermos pessoas batizadas sem boas obras, sem transformação de vida, sem conversão, distinguiu-se novo nascimento de regeneração.

O batismo não regenera, não perdoa pecados, não purifica do mal, o batismo não salva nem complementa a salvação. Batismo é o símbolo visível da obra invisível que o Espírito Santo operou no pecador transformando-o em nova criatura, é o ato pelo qual o homem dá testemunho público da sua salvação.

 Batizamos não para sermos salvos, mas porque fomos salvos.

A salvação é dom de Deus, é pela graça mediante a fé; não depende do rito (batismo) que é obra humana: “Mas, se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça”- (Romanos 11:6). Biblicamente a regeneração ou o novo nascimento vem antes do batismo, mas na CCB o batismo é chamado de “o primeiro passo para a salvação” – eis aqui o porquê da inversão, de terem colocado novo nascimento na frente da regeneração, seguros que João 3:5 confirma esta ordem.

Na CCB o batismo e a regeneração costumam ser simultâneos porque muitos estando pela primeira vez na igreja por ocasião de um convite para assistir à celebração, creem e imediatamente são batizados. Mas esta também é a razão de muitos batizados não terem sido regenerados, pois não creram verdadeiramente, batizaram sob pressão ou por emoção.

Os crentes da CCB não evangelizam, convidam para o batismo. Não sabem levar a mensagem do evangelho, sabem dar o endereço da igreja. Acreditam que sua função é somente trazer a pessoa para assistir um batismo porque “a obra é Deus quem faz” querendo dizer com isto que se aquela pessoa ‘pertencer a Deus’, receberá “o chamado” do Senhor, sentirá Deus tocar o seu coração, obedecerá à sua voz e assim nascerá na graça.

Quando alguém se batiza dizemos:“Este obedeceu”. E quando a pessoa não ‘obedece’ dizemos: “não estava na hora, não foi o dia”. Quando um filho de crente não quer abandonar o mundo ele diz: “Estou esperando Deus me chamar”. Quando alguém que foi ‘testemunhado’ morre sem batizar ou ‘peca de morte’ após o batismo dizemos: “Este não pertencia a Deus”.

O recém-batizado, não é discipulado, não estuda e não aprende as doutrinas da Bíblia, aprende os costumes e a buscar a Palavra para seus assuntos pessoais. Não importa se a Bíblia é ou contém a Palavra de Deus, não importa se Deus é uno ou triuno, não importa se o Espírito Santo é uma força ou uma pessoa, se Jesus é Criador ou criatura, não importa quão graves continuam seus erros – só não pode ‘pecar de morte’.

A irmandade acredita piamente que sem o batismo [da CCB] não é possível salvação,“não pode entrar no reino de Deus”, já aconteceram muitos casos das famílias brigarem com os médicos e retirarem os parentes enfermos dos hospitais para que fossem batizados. Esta é a razão porque rebatizamos crentes de outras autenticas confissões evangélicas.

“Necessário vos é nascer de novo” (João 3:7) – interpretam: “Necessário vos é batizar”. Devemos entender: “necessário vos é crer”, pois “quem não crê será condenado” (Marcos 16:16) mesmo que tenha batizado Posso apontar pessoas que foram salvas sem terem sido batizadas, alguém pode me falar um que foi salvo sem ter crido?

Originalmente, o ponto 5 nem falava de batismo, mas como os membros da Congregação não conseguem separá-lo do novo nascimento, resolveu-se o problema na nova confissão de fé. A edição que parecia a menor é a que mais revela sobre nos e desmascara que as alterações foram intencionais para adequar o que está escrito ao que se professa igualando teoria e prática.

“Isto é insignificante! Isto não muda nada” – continuarão apregoando aqueles que não tem compromisso com as Escrituras, que confiam na obra do batismo e na placa ou nome de sua igreja. Demonstram orgulho denominacional, mas o coração deles está apertado porque suas almas sabem que “nenhum outro nome há, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4:12), então contraditoriamente ensinam que é arrogância dizer que estamos salvos, que precisamos ser firmes e fieis porque a salvação é incerta até o último suspiro de vida. Assim só têm a esperança de salvação e não a certeza da salvação, por isso não conseguem proclamar: “Salvo estou! salvo estou!”

A mudança é sutil mas não é fútil; com uma pequena alteração tudo ficou diferente. Leiam o título do texto, ele distingui obra de obra; o rito do milagre. Com uma pequena intervenção, um insignificante acento, tudo se altera e chegamos ao credo ccbiano: O batismo é o novo nascimento.

Anúncios

Comentários em: "O batismo e o novo nascimento" (64)

  1. Márcio J. S. Ermida disse:

    Seu texto, como os outros, rasgou o véu da ignorância espiritual que infelizmente grassa no nosso meio. E muitos ainda acreditam que tal ignorância foi herdade, ou deixada para nós, por revelação do Espírito Santo.

    Como já disse antes, meu desejo é o de compartilhá-lo muito. Continue assim, meu irmão, tem todo meu apoio na multiplicação de assuntos tão relevantes e tão mais importantes do que os “velhos” usos e costumes que superabundam nos púlpitos e rodas de conversas de crentes.

    Crentes que poderiam estar se mobilizando por outros crentes necessitados, perseguidos. Que poderiam, e podem, cumprir o IDE com um tremendo potencial de arrebanhar almas para o Senhor. Crentes que, se estudassem e manejassem bem a Espada do Espírito, poderiam defender melhor a sua FÉ, ao invés de defender usos e costumes denominacionais, e consequentemente estariam melhor preparados para as verdadeiras batalhas espirituais que assolam o mundo hoje (Ef. 6).

    Tens todo o meu apoio, irmão, estamos juntos nessa.

    Deus abençoe.

    Márcio – CCB m B enquanto der

  2. Evangelista Cristão Crer e batizar salva !

    BATISMO NA ÁGUA SALVA.

    Sobre a explicação que creu já está salvo é perigoso para salvação da alma. Esta explicação vem dos teôlogos, querendo enfatizar que alguém crendo em Cristo já está salvo, ou seja, algumas denominações fazem a tal preparação no cidadão(ã) e, só o liberam ao batismo da agua após estarem apto aos olhos dos dirigentes.

    Isso vai de encontro o poder do Espírito Santo que quando chama alguém, ELE tem condição de o transformar. Se formos ensinar que só crendo alguém estará salvo, vamos diminuir o poder do E. S. O E.S. por Divino decreto trás a pessoa para Cristo.

    A agua simboliza que o cristão está sendo lavado no Sangue de Cristo e, ao mesmo tempo afirma o que está em Colossenses 2; Sepultados com ELE no batismo, etc……. O batismo pela fé significa o sepultamento do velho Homem ou mulher e renascimento de uma alma sem pecado, que acabou de crer que nasceu de novo.

    Sendo assim o batismo na agua é ato obrigatório para salvação. Cristo disse; Quem crer e for batizado será salvo. Vemos que o batismo é uma condição obrigatória, na junção da letra E.

    O mínimo que alguém deverá fazer para provar que creu é aceitar o ato de humilhação em ser batizado, sepultado, etc.

    Se o batismo da agua não fosse obrigado, porque Cristo se sujeitou a entrar no rio Jordão e ser batizado por um simples mortal ? Se ELE teve esta atitude é porque sería ato obrigatório e junto ao crer serve sim, para perdoar pecados

    Observamos em todos momentos em que os apóstolos falavam em salvação, determinavam o batismo de imediato.

    Se o batismo nas aguas não fosse para salvação, jamais haveria o sacramento em muitas igrejas evangélicas, afinal os verdadeiros evangélicos creem em Cristo e, se crendo fosse o suficiente o E.S. não colocaria na boca dos apóstolos a parte batismal.

    Com referência ao ladrão na cruz que creu e foi salvo, foi Cristo que disse; Ainda hoje estarás Comigo no paraíso. Vemos que foi Cristo que o salvou e, Cristo estando vivo poderia dar a vida eterna no céu para quem desejasse, afinal Cristo tinha total autonomia. Após ELE ressuscitar veio as ordenanças do testamento e, dentre elas o batismo na agua.S.Marcos 16, Quem crer e (E) for batizado será salvo. Quem não crê já está condenado. Observamos que para salvar tem dois itens ; Cre e batizar,mas, para ser condenado basta somente NÃO crer !!

    Outra coisa, ELE conhecia a intenção do espirito do ladrão, pois o enxergava por dentro e, sabia que se o ladrão pudesse ele se batizaria.

    Nos nossos dias também acontece igual; Alguém crê em Cristo,mas, por motivo de estar a morte no hospital ou outro lugar que não o deixa batizar, será julgado no dia do juízo e, Cristo o salvará ou condenará.

    Isso não serve para aqueles que ouvem esta determinação a respeito do batismo e, por vários motivos não batizam. Quem ouvir este mandamento e, não obedecer ao Sacramento do batismo corre o risco de não receber a heranço do testamento.

    Este negócio de dizer que fulano era tão bom e o filho do ir. tal morreu no acidente mas era um santinho de Deus é contra o que consta nas escrituras. Passou dos 12 anos, conheceu a ordenança do batismo e, não batizou, corre o grande risco de ser condenado (Cristo lhe julgará, não nos) A maior prova de que alguém creu é receber o passaporte para entrar no céu.

    Vemos que no mundo existem pessoas famosas, como o Pelé. Todos conhecem o Pelé,mas, sem o passaporte o Pelé não entra em país algum. Assim é aquele que diz ser Cristão sem o passaporte que adquire no batismo não entrará na pátria Celestial.

    Para os filhos de evangélicos de denominações idôneas é pior porque não podem participar da S.Céia e, Cristo disse; Quem não comer do meu corpo, etc, não tem parte comigo. A pessoa só faz parte do corpo de Cristo quando participa da comunhão do corpo e do sangue de Cristo. Se não participa está desligado de Cristo. Sendo assim, para participar da S.Céia tem que ser batizado é mais um motivo que o batismo é necessário !!!

    Segue vários pontos em que os apóstolos indicavam o batismo imediatamente, sem nenhuma preparação:

    Atos 8vs 36 Felipe e eunuco – Atos 2 vs 38 Pedro para multidão – Atos 19vs 5Atos 19vs 3 – Atos 2 vs 38 fala que batismo perdoa pecados – Atos 22 vs 16 fala que batismo lava pecados – Entre outros pontos que é só ler a bíblia !!

    Afirmando firmemente que é necessário CRER…………..

    • Irmão Eleotério,
      Ficou claro muitos pontos em que descordamos, depois voltarei a comentá-los; O que é digno de nota foi sua sinceridade e franqueza, pois assumiu, confirmou e defendeu o pensamento professado na Congregação. Usa a palavra SACRAMENTO e começa dizendo, antes de qualquer coisa, O BATISMO SALVA.

      Geralmente quando confronto as idéias eu escuto: “Não é bem assim…”, mas no teu comentário vi legitimidade, disse realmente o que pensa, sente e crê, o indivíduo (você) e o seu grupo (CCB). E isto também confirma todas as palavras que eu disse a respeito da nossa igreja.

    • Jesus não batizou com 12 anos…

      Foi com 30… que risco!!! Nunca tinha pensado nisso!

      😛

  3. Ricardo,

    O interessante é que, quando Jesus conversa com Nicodemus na calada da noite, não faz nenhum convite pra batismo. Ele diz apenas que, para entender as coisas espirituais de Deus, ele teria que nascer do Espírito. Nicodemus não entendeu nada! Não porque fosse mau, mas porque era um homem de coração empedrado pelos rituais, cerimônias, costumes e performances. Inclusive, ele fazia parte de uma casta que se dizia abençoada e com ticket celestial garantido, já que se obedecia a determinados cerimonialismos, supostamente agradáveis a Deus. (Como existe ainda hoje, doutrina passada de pai pra filhos, de líder a fiéis, com frases de efeito que exaltam tal doutrina como a única válida na face da terra e com passagem assegurada a todos que nela vivem).

    Quando Filipe, conduzido pelo Espírito, ENSINA ao eunuco a passagem da Escritura, ele então crê e DEPOIS, no meio do caminho, ao avistar água, demonstra interesse em ser batizado. O mais curioso é que ele voltava justamente da adoração em Jerusalém! E por que não aconteceu tudo lá? Por que o Espírito não conduziu antes Filipe até lá? Por que a leitura foi depois da adoração no LOCAL indicado para se adorar, se cultuar e praticar as cerimônias e rituais?

    Como diria Jesus a Nicodemus, O Vento sopra onde quer. Ou seja: o lugar não importa. É no Caminho. Mas isso os religiosos empedrados não aceitam. Porque ‘bate de frente’ com tudo que lhes foi ensinado equivocadamente, mas é como eles acreditam. Fechando os olhos para o Evangelho!

    Há o que simplesmente crê e o que precisa de rituais. Veja Jairo e a mulher do fluxo de sangue. Ela rompe com todos os cerimonialismos e aproxima-se ousadamente de Jesus, pois CRÊ que basta tocar na veste de Jesus para ficar curada. Jesus não precisa fazer nada. Ela nem mesmo fala com Jesus! Ela simplesmente CRÊ!

    Jairo, entretanto, no mesmo momento, aparece a Jesus com um enunciado bíblico: ‘vem, impõe as mãos sobre minha filha para que ela seja salva, e viverá’. (Essa era a crença na ação dos profetas à época – e de muitos hoje…) Em enunciado prévio e oração fria, Jairo via Jesus como mais um dos profetas. E, que seguindo CORRETAMENTE os rituais religiosos, certamente a salvação aconteceria. A mulher O via como Deus. E Jesus simplesmente PÁRA quando ela LHE toca! Jairo: religioso, cheio de crendice religiosa. A mulher do fluxo de sangue: cheia de FÉ. Não fica difícil pra entender com qual dos dois, Deus se relaciona…

    E hoje não é muito diferente o que se vê por aí em oposição à Palavra. Veja essa suposta exigência divina feita por ‘revelação’ acerca do batismo que tanto se ouve. Por que Deus daria apenas a uma pessoa, uma informação preciosa que anularia todo o Sacrifício da Cruz? Então, quase dois mil anos depois, um Deus caprichoso anula a Boa Nova e resolve que o batismo por imersão é determinante para a salvação e a cura de enfermidades físicas, mentais e espirituais?

    Ora, não podemos ser tão ingênuos e crédulos para ‘engolir’ que uma ‘imersão em água santa de tal lugar’ provoque uma mudança (regeneração) no ser. Até porque esse batismo é simplesmente um cerimonialismo religioso para se confessar publicamente que o genuíno batismo já foi realizado no ser!

    Ou seja: não é no batismo em determinada denominação que recebemos a ‘senha de acesso a Deus’. Essa senha nos é dada quando cremos que JESUS É! E quem nos convence disso é o Espírito Santo. Sem lugar determinado.

    O próprio Paulo foi batizado DEPOIS que caiu por terra, DEPOIS que recuperou a visão e DEPOIS que ficou ‘cheio do Espírito Santo’. Observe a sequência: Jesus mostrou-Se para ele e o fez cego por três dias para ele ‘ruminar’ a mudança radical de conceitos; em seguida, ESVAZIADO, encheu-se do Espírito! O batismo ficou em último lugar e apenas como simbolismo de algo que já havia sido efetuado em seu SER.
    É assim que eu creio!
    Abs.

    • Permita compartilhar que quando me batizei, a maior parte da igreja se assustou achando que eu já fosse batizado. Muitos achavam que eu era filho de um irmão muito amigo meu, e que tivesse batizado em outra cidade. Eu já andava em novidade de vida, já havia sido regenerado, apenas proclamei isto publicamente.

  4. Paz de Deus irmão bereiano.
    Por favor, me passas as referências nas Escrituras Sagradas que o homem, após crer e ser justificado pela fé em Jesus Cristo, ele já está salvo.
    Deus abençõe.

  5. Parabéns pelo texto, reflete com precisão o que se passa na ccb.

  6. Cristão Ortodoxo disse:

    Querido Bereiano,

    Esta nova redação do ponto de doutrina nº 05 do credo ccbiano, nada mais é do que um interpretação literal das escrituras sagradas acerca do novo nascimento e a regeneração, que, por mais incrível que pareça, é uma interpretação oriunda dos primeiros dias do cristianismo, período este que ainda não vislumbrava um estudo sistemático das escrituras.

    Vindo o protestantismo criou-se novas concepções não orientadas pela primeira, pois houve uma reinterpretação das principais crenças; e devido sincretismo religioso ocorrido durante centenas de anos, surgiram várias teorias, inclusive vertentes do gnosticismo cristão que descaraterizava o batismo do seu sentido real, dizendo que só a fé bastava e não havia necessidade do batismo; outros diziam que uma vez escolhidos por Deus não havia necessidade de batizar-se.

    Com estas e outras teorias, a concepção de novo nascimento x regeneração foi reinterpretado no protestantismo conservando uma pluralidade de ideologias, diferenciando da concepção da ICAR e do entendimento dos primeiros cristãos acerca deste assunto. Partindo desta ótima, percebemos que a CCB procurou aproximar-se do entendimento dos cristãos primitivos que por sua vez é o que melhor aproxima do entendimento apostólico. Vejamos:

    “A este alimento o chamamos eucaristia. A ninguém lhe é lícito participar se não crê que nossos ensinos são verdadeiros, foi lavado no banho da remessa dos pecados e a regeneração, e vive conforme ao que Cristo nos ensinou” – Justino Mártir (160 d.C.)

    “Sendo leprosos no pecado, somos lavagens de nossas transgressões antigas por meio do água sagrada e a invocação ao Senhor. Desta maneira somos regenerados espiritualmente como meninos recém nascidos, bem como o Senhor disse: ‘O que não nascer de água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus’.” – Irineu (180 d.C.)

    “Por isso o batismo, nosso novo nascimento… nos concede renascer a Deus Pai por meio de seu Filho no Espírito Santo.” – Irineu (180 d.C.)

    “Recebe-se o batismo para a purificação dos pecados.”- Clemente de Alexandria (195 d.C.)

    “Já não há agora possibilidade de iludir sua lei, porque, efetivamente, a lei do batismo foi imposta e sua forma foi prescrita quando se diz: ‘Vão e ensinem a todo mundo, batizando-os no nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo’. Esta lei se relaciona com aquela declaração: ‘Se um não renascesse do água e do Espírito Santo não entrará no reino dos céus’, a qual submete a fé à necessidade do batismo. Por isto, desde então, todos os que criam eram batizados.” – Tertuliano (197 d.C.)

    “No batismo de água se recebe a remissão dos pecados.” – Cipriano (250 d.C.)

    Deus vos abençoe.

    • Os pensadores do século 2 entenderam que o batismo é sacramento e a crença da CCB concorda com o pensamento de Justino, Irineu, Tertuliano e Cipriano, ok!
      Me confirma se o que entendi foi o que você disse:
      Este pioneirismo confirma o que diz a Bíblia e as ideias posteriores do reformadores estão erradas. É Bíblico que o batismo é sacramento (perdoa pecados), e a CCB acertou na revisão.

      • Cristão Ortodoxo disse:

        Irmão Bereiano, o batismo é um simbolo de purificação. A imersão em águas é uma tradição que remonta parte da cultura judaica, pois vemos em vários trechos das escrituras pessoas que foram purificadas de chagas, lepras e ainda curadas através da Fé quando foram imersas em águas. Não foi por acaso que João apregoou o batismo, este ritual é característico à cultura hebraica. E e nas águas que o homem professa sua fé. Não podemos dar novas concepções ao batismo sem ater-mo-nos à tradição Hebreia, pois Jesus Cristo e os apóstolos eram Hebreus. E analisando a nova redação deste artigo 5º, percebemos que a CCB deixa bem claro que o novo nascimento e a regeneração só se adquire com a Fé em Jesus Cristo, isto tira qualquer possibilidades das águas por si só lavar pecados. Nas águas confessando nossa fé em Jesus Cristo nossos pecados são perdoados. E isto que a CCB está dizendo. Quanto á concepção protestante sobre o batismo ou novo nascimento, vejo que há influências de teorias gnósticas em alguns dogmas protestantes, prefiro ficar com a interpretação literal das escrituras sobre as ordenanças do batismo.

        Deus vos abençoe.

  7. Dê sua opinião sobre o tema, não sobre os comentários.

    • Cristão Ortodoxo disse:

      Irmão Bereiano, fiz meu comentário sobre o tema, apenas utilizei referências históricas para confirmar que a crença Ccbiana é histórica e oriunda do cristianismo primitivo. Quanto a minha opinião sobre o tema, ficou bem claro que entendo o batismo como simbolo do novo nascimento, comungando com o entendimento da CCB e do período apostólico.

      Deus vos abençoe

      • Cristão ortodoxo,

        O irmão me desculpe o mal entendido. Este recado não foi para o irmão, foi geral. Eu coloquei assim que aprovei os primeiros comentários, reforçando para que respeitemos as opiniões sem ataques pessoais. Até são permitidas perguntas uns aos outros, mas que primeiro deixem seu comentário com relação ao texto.

        Deus abençoe!

  8. Ninguém discute que o batismo deve ser cumprido pelos cristãos, pois é mandamento do Senhor. A questão é a seguinte: As águas do batismo salvam? regeneram? purificam? Evidentemente que não. Quem nos salva é Deus (Jonas 2:9) e Ele usa um instrumento chamado fé para dispensar a salvação a nós (Romanos 3:28; Romanos 4:16; Romanos 5:1; Gálatas 2:16 e 3:26 são alguns textos apenas para não estender muito), quem nos regenera não é a água do batismo mas o Espírito Santo (Tito 3:5), e o que nos purifica de todo o pecado é o sangue do Senhor Jesus ( I João 1:7).

    Se sem o batismo não fosse possível a salvação então o chamado de Paulo para o apostolado seria incompleto, inválido, ineficaz, pois o mesmo disse: “Porque Cristo enviou-me não para batizar mas para evangelizar, não em sabedoria de palavras para que a cruz de Cristo se não faça vã.” (I Cor. 1:17)

    Vemos vários casos nas escrituras de pessoas que foram salvas antes do batismo, como no caso de Cornélio, que inclusive recebeu ele e os que estavam em sua casa o Espírito Santo antes do batismo. (Atos 10)

    Lídia da cidade de Tiatira teve seu coração aberto pelo Senhor para crer antes do batismo ( Atos 16:14).

    O carcereiro de Filipos perguntou a Paulo e Silas: “Senhores que é necessário que eu faça para me salvar?” (Atos 16:30) Veja bem a resposta que eles deram: “E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.” (Atos 16:31) Onde eles disseram que sem batismo não há salvação?

    Em Romanos 10:9-11 diz assim: “A saber: se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido.”

    O batismo deve ser cumprido, porém ele não salva, senão seria o inicio de salvação pelas obras o que contradiz as escrituras que afirmam categoricamente que a salvação é pela graça, é dom de Deus, ver Romanos 11:6; Efésios 2:8; II Timóteo 1:9.

    O rito do batismo instituído pelo Senhor Jesus possui um significado, um simbolismo, que é o seguinte: Segundo Romanos 6:3-4, quando somos imersos na água, simboliza que morremos com Cristo e quando levantamos simboliza a nossa nova vida com Cristo, ver II Cor. 5:17. A água significa lavagem, purificação, porém não é ela que faz este trabalho, ver I Pedro 3:21.

    Todo este processo de morrer com Cristo, se tornar uma nova criatura, ter os seus pecados perdoados, ser purificado, não se dá pelas águas do batismo, mas antes antes do batismo, pelo atuar de Deus na vida daqueles que são seus. No batismo há uma confissão pública, é externado diante da igreja aquilo que já ocorreu no interior do homem, e com isso a igreja se alegra em Deus.

    • Bem feita sua exposição Samuel.
      Batismo é uma ordenança, mas não é um sacramento.
      É fora da razão uma pessoa que se diz salva não batizar;
      Mas é possível haver pessoa regenerada sem batismo,
      como é possível que uma pessoa batizada pode não ter sido regenerada.

    • Excelente

  9. Ricardo,

    Complementando teu texto, já ouvi muitas vezes: “Ah, o fulano faz sexo com a namorada, mas tudo bem, porque ainda não é batizado”.

    E o homem acha que engana Deus com esse argumento barato…

    Batismo não salva ninguém. Que o diga o ladrão da cruz.

    O eunuco creu. Pararam ao pé da alguma água. “O que impede que seja batizado?” A resposta veio: “Tão somente se crer”.

    O resto é ritual, igual os pagãos faziam, os católicos copiaram e muitos evangélicos incorporaram.

    • Cristão Ortodoxo disse:

      Irmão HP o batismo realmente não salva ninguém, mas é uma ordenança dada pelo próprio Jesus Cristo. Creio que mesmo que seja um simbolo de pactuação, é necessário a todo aquele que confesse a fé em Jesus Cristo e tenha oportunidade de professar-la que o faça nas águas. Quanto as exceções, não cabe a mim nem a qualquer ser humano questiona-las. E só lembrando que o tal ladrão da cruz não teve oportunidade de ser batizado quando creu, mas sua Fé o justificou. Mas quanto a nós oportunidade de pactuar com Cristo nas águas não nos faltam, basta confessarmos nossa Fé em Jesus Cristo. O caso do ladrão na cruz não nos dar direito de invalidarmos a pregação do batismo, até porque não fomos nós que decidimos em salvá-lo.

      Deus vos abençoe.

      • Querido,

        Em momento nenhum disse que não se deve batizar.

        O problema é dar ao “Batismo” um poder que ele não tem.

        Quando é citado que o “batismo lava pecados” se refere ao contexto inteiro do batismo (crer e ser batizado) e ainda de forma metafórica.

        Se isso não for compreendido, damos as águas um poder que ela não tem e colocamos Cristo do lado de fora.

        Eu me batizei pequeno ainda, mas só tive a conversão 7 anos depois é o entendimento da graça depois de 12 anos de convertido.

        Abs

  10. Irmão Bereiano, o texto do irmão é bem redigido, segue a sequência lógica da teologia, e tudo mais. No entanto, eu continuo crendo que o batismo é o primeiro passo daquele que crê, pois a fé sem obras é morta, e o batismo é uma obra viva de arrependimento e fé que Deus através das águas sepultará os pecados daquele que creu, mesmo que este não venha a dar frutos de imediato, ou não dê fruto algum.

    O texto bíblico é bem claro:
    S.Mar 16:16 “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”
    É claro que há exceções, como no caso do ladrão na cruz, mas vejo esse verso de S. Marcos como lógica matemática que diz que para uma sentença ser verdadeira as duas proposições também precisam ser verdade.
    Veja:
    1° eu creio, mas não batizo pois acho tolice de homens o batismo (Primeira proposição certa, mas a segunda foi errada, então minha sentença não é verdadeira, logo não poderei ser salvo).
    2º Eu não creio, mas me batizo por outro motivo que não seja a salvação da alma. (Primeira proposição errada, e a segunda correta, porém também não poderei ser salvo neste caso, pois é preciso crer e ser batizado).

    Assim sendo, para que a minha fé tenha efeito, digo isto porque até o diabo crê, eu tenho que, no mínimo, ter a humildade de querer obedecer toda justiça divina, e o batismo é a primeira delas (ou primeiro passo), pois creio no que está escrito em Atos 2:38:

    “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”.

    Veja que no verso acima fica mais uma vez evidenciada que essa a vontade de Deus, ou seja, os irmãos criam que o pecador devia crer e ser batizado para ter seus pecados lavados na água do santo batismo, e para ser salvo entre eles.

  11. Irmão João,
    Oportunamente voltaremos a falar do batismo em si, embora o título fale de batismo e grande parte do texto fala de batismo, o que gostaria de ver discutido é a revisão nos artigos de fé. Antes de refutar ou concordar com o pensamento ccbiano, primeiro o que queria esclarecer é que as alterações foram para ajustar a Declaração a esse pensamento. Então não é como muitos dizem que não mudou nada. Mudou sim.

    O artigo 5 não fala [ou não falava] de batismo. (É o artigo 6 que fala de batismo)mas a alteração foi feita pensando em batismo e assim conseguiram inserir, de modo implícito, o batismo das águas do ponto 6 no ponto 5.

    • Perdoe-me, irmão Bereiano, se fugi do foco da discussão.Sendo assim, acredito que apesar de ter sido diferenciado novo nascimento de regeneração, não há nenhuma mudança substancial, pois o objetivo principal do tópico 5 continua intacto. A mensagem diz que somente a fé em Jesus Cristo transforma, e isso é o que devemos observar.

      Porém não há como falar de novo nascimento, sem que nos venha a memória as palavras convenção e batismo. Então, o tópico 5 falava de batismo, e continua falando de batismo. Caso o irmão entenda que o tópico foi alterado para confirmar a nossa crença de que o batismo, além de uma confissão pública de fé, é para perdão dos pecados daquele que crer, só temos que agradecer a Deus por isso.

      No entanto, veja que Tito também diferencia regeneração de novo nascimento: Tito 3:5 “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,”.

      Então, a partir desse verso, também podemos supor que a alteração tenha sido feita para melhor adequação do texto bíblico.

      Deus o abençoe

  12. Irmão Eleotério, Cristão Ortodoxo e João1,

    A CCB é MUITO irresponsável em relação ao batismo. O batismo é uma ordenança, ou seja, aquele que crer, precisa batizar e ponto. Agora a CCB criou o tal do “sentir” de se batizar. É um absurdo!!! Veja, conheço MUITOS irmãos e irmãs de 20 e poucos anos de idade (ou adolescentes próximos dos 18 anos), nascidas em lar de cristãos, que oram em nome de Jesus, recitam, cantam louvores em Seu nome e etc. Se esses nossos jovens fazem tudo isso, é porque creem. Ou será que esquentam banco na igreja??? Então porque não se batizam??? Se conversamos com eles, o que dizem é o seguinte:

    – Estou esperando Deus chamar!

    Vê o absurdo dessa “doutrina” do “chamar”? Quer dizer que Deus precisa “chamar” para garantir que realmente somos convertidos???

    Mas uma “doutrina” absurda criada pela nossa querida CCB. E continuam ensinando essas besteiras nas reuniões de jovens. Triste.

    Meu cooperador de jovens dizia que para batizar, deveríamos esperar Deus pulsar em nosso coração. Normalmente, na dúvida de se batizar (com medo por causa da doutrina da CCB), a tensão aumenta e o coração dispara, aí o coitado pensa que é Deus chamando. Misericórdia!!

    E o pior é o medo, irmãos e irmãs dizendo que não se batizam porque tem medo de pecar. Outro absurdo existente no meio da CCB através da cultura oral. Você pode fazer o que quiser antes de se batizar, mesmo que conheça o evangelho. Depois do batismo, aí pecou, já era (pecar significa na CCB fornicar, ou cometer adultério). É comum ver pais e mães dizendo, não quero que meu filho se batize agora, pois tenho medo que ele peque. É melhor quando for mais velho e etc.

    Meu DEUS!!! Quanto absurdo é ensinado na CCB através da cultura oral. Depois que ficamos sabendo da verdade que está na Bíblia há tanto tempo, é uma libertação. Quantas vezes depois do batismo eu tinha medo, pensando, será que Deus realmente me “chamou”, será que me batizei pela “carne”.

    Que nossa liderança seja libertada de sua suprema arrogância, e comece a ensinar o povo corretamente…

    Taí o meu desabafo!!!

    • Cristão Ortodoxo disse:

      Irmão Samuel seu comentário é válido do ponto de vista cultural, pois esta situação costumeira de não batizar com medo de pecar, e simplesmente acovardasse. Quanto ao sentir o chamamento de Deus, nada mais é, do que sentir-se convertido na Fé em nosso Senhor Jesus Cristo. O crente convicto de sua Fé, reconhece o chamamento de Deus e pactua nas águas quando o puder. Agora o crente que teme ao seu chamamento, só lamento, porque ainda não está convicto de sua crença, ou seja, ainda não curvou-se às boas novas de Salvação. Congrego deste os cinco anos de idade, Batizei-me com dezessete anos, porque foi quando eu entendi plenamente o chamado de Deus. Esse chamado foi a minha conversão, eu já estava convicto de minha Fé.

      Deus abençoe.

      • Irmão Cristão Ortodoxo,

        Não é ensinado dessa maneira na CCB não. NUNCA me disseram que o “chamamento” é a convicção da fé. SEMPRE ensinaram que o “chamamento” é quando Deus diz a hora que devemos nos batizar. Isto é erradíssimo. A bíblia já informou quando devemos nos batizar. Quando cremos em Jesus Cristo devemos nos batizar.

        O “chamamento” ensinado pela CCB é totalmente fora das escrituras. É ainda MUITO comum os irmãos até pedirem sinais para se batizar. Não adianta o irmão tentar tapar o sol com peneira.

        E outra, o batismo não salva. Está claro como cristal. O batismo é um SINAL de que o crente está salvo. Logo, é impossível um cristão salvo pela fé não se batizar, a não ser por motivos de saúde. Agora, o que a CCB ensina, dizendo que é o batismo em águas que salva, é HERESIA pura. Coisas do catolicismo, assim como a transubstanciação que é pregada por muitos em nosso meio.

        Deus o abençoe meu irmão…

        • Cristão Ortodoxo disse:

          Irmão Samuel no meu comentário deixei claro que existe uma cultura oral anti-bíblica em torno do momento de se batizar. Mas quanto ao poder salvífico do Batismo por si só não encontramos respaldo Bíblico e nem nos 12 pontos de doutrina da CCB. Esta afirmação do irmão é totalmente desprovida de respaldo doutrinário dentro da própria CCB. E tanto que no tópico 05 esta bem claro que “Nós cremos que o novo nascimento E A regeneração SÓ SE RECEBEM PELA FÉ EM JESUS CRISTO, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação…. Corroborando com esta sua afirmação: “é impossível um cristão salvo pela fé não se batizar”. Aqui no novo nascimento requer FÉ EM JESUS CRISTO, tirando qualquer possibilidade do poder salvífico da águas. Agora quanto ao Batismo da ICAR, nada mais é do que um ritual de iniciação, igualmente praticado por instituições pagãs. Esta comparação do batismo da CCB com o batismo da ICAR é muito esdrúxula.

          Deus abençoe.

  13. Márcio José Sérgio Ermida disse:

    Tomei um banho com 12 anos de idade e com 13 fui para o mundo, simplesmente porque não entendia absolutamente nada sobre salvação e regeneração, nem eu nem minha casa.

    Fiz isso porque aprendi que jogar bola era pecado, não podia. E, moleque, queria me divertir, sair um pouco. Daí, pensei: “vou ficar um pouco sem congregar, jogo bola e me divirto, depois volto a congregar…” hahahahaha Só fui ser convertido de verdade com 28 anos de idade, e às vezes até me dá vontade de batizar de novo, só para mostrar minha conversão verdadeira.

    Parei por ignorância, a igreja não ensina as coisas corretamente, obriga as crianças a decorarem versículos para salmodiar. Como eu ou minha família saberíamos o que era ou não certo naquela época? A única coisa engessada que sabíamos era que jogar bola e ver tv era pecado, bolas!

    Pra ajudar, como fiquei quinze anos “parado”, e Deus por Sua infinita misericórdia Se usou de uma serva humilde Sua para me converter… agora não posso isso, não posso aquilo, não posso nada, só tomo santa ceia (e ainda tive que perguntar se podia), ainda mais depois que mudei aqui pro interior de São Paulo.

    Ou seja, só porque tomei um banho numa idade em que não sabia NADA das coisas de Deus, hoje em dia sou tratado como um marginal pelo ministério. Ah! Sim! Deixa que Deus perdoa, mas na igreja, pode servir de mal exemplo, né?! hehehe Mal exemplo de quê?

    Sei que Deus deixou uma marca em mim, e que eu era dEle sempre, pelo simples fato de o Senhor ter me ressuscitado quando criança, e confesso que sempre fui um crente precoce, rsrs Mas… e se eu tivesse morrido (uma hipótese) antes de me converter mesmo? Estaria salvo por causa do meu banho? Como fica essa história?

    Conclusão: se eu morrer hoje, meu pai que é testemunhado não vai poder assistir me funeral porque eu parei de congregar com 13 anos e voltei com 28? Não terei funeral, para não servir de mal exemplo?

    Se é o batismo que salva, então como explicar o meu caso e de outros irmãos com uma certa idade de discernir que eu não tinha muito, que tomam banho e depois saem da igreja?

    PS: Não desmereço o batismo como ritual, pois é uma forma de assumir sua CONVERSÃO perante a igreja e Deus. Mas achar que o ES é que vai converter SOZINHO as pessoas, é demais. É o mesmo que achar que para evangelizar tem que ter um sonho, ouvir uma voz, ou seja ser revelado. Quando já tá tudo revelado há dois mil anos. Isso pra mim é desculpa para exclusivismo. E antes que me esqueça: a mudança está fora da Bíblia, e não se justifica. Uma igreja sem estudo bíblico atualmente não pode promover mudanças de doutrinas que foram deixadas numa época em que tinha estudo, não há coerência nisso, e não se pode esperar lógica nessa mudança.

    Márcio – CCB m B, batizado (banhado) e só depois convertido

    • Irmão Marcio,

      De acordo com que o ensinaram na CCB, quando era o momento de se batizar? O que explicaram sobre o batismo e o momento certo para ser batizado?

    • Uau…

      Que Deus sempre te abençoe e te use com a pregação da verdade!

      Grande abraço meu irmão em Cristo.

    • Irmão Marcio, agora eu fiquei triste com o irmão. Como pode tratar um batismo guiado pelo Espírito Santo, e feito em nome do Senhor Jesus como um simples banho? Será que com treze anos, o irmão não sabia realmente que estava fazendo um concerto com Deus para perdão dos seus pecados?

      Todos nós sabemos que a única advertência que deve ser feita ao pecador arrependido antes de o mesmo descer nas águas é abster-se da carne sufocada e guardar-se da prostituição, e isso a CCB ensina corretamente, pois foi isso decidido pelos anciãos e apóstolos na assembleia de Jerusalém. Agora, como que o irmão cita um monte de desculpas para justificar o abandono da graça, e ir após o mundo. Culpar nossos irmãos pelos erros cometidos é muito fácil, quando o mais justo seria admitir que não suportou a beleza do mundo, e caiu em tentação, rogando pela misericórdia de Deus.

      Olha, o Senhor também me chamou na idade de treze anos, e eu posso dizer que apesar de não ter, na época, o conhecimento teórico da Palavra, sabia perfeitamente o que estava fazendo, pois cri no que estava sendo pregado. Acredito que quando o irmão batizou também creu no que lhe foi pregado. Isso já é o suficiente para arrependermo-nos do nosso mau caminho, e fazermos o concerto com Deus.

      O batismo é feito para perdão dos pecados, assim como a santa Ceia é tomada anualmente nas casas de oração para que tenhamos vida, e vida com abundância no Senhor. Isso é fato. Não importa se o pecador está convertido e já conhece a Bíblia de capa a capa ou não, importa apenas que ele seja obediente a Palavra e creia que o santo serviço de batismo é feito em nome do Senhor Jesus para sua purificação,pois todo o homem já nasce em pecado.

      Não é que a água do tanque seja milagrosa, ou o pão e o vinho da ceia sejam feitos de componentes sobrenaturais para dar vida espiritual ao crente, mas os atos de obediência e fé que são efetuados nestes serviços é que dão vida. Porque três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num. Se não fosse assim, Jesus Cristo não diria a Nicodemus: “Necessário é nascer da água e do Espírito”. Veja que nascer da água está relacionado aí ao ato de purificação nas águas do batismo, e nascer do espírito está relacionado a fé do pecador arrependido na promessa do Espírito Santo. O primeiro é um ato material, simbólico; já o segundo totalmente espiritual, pois a fé é um dom de Deus. Daí, entende-se melhor a famosa frase por nós repetida: “Quem crê e for batizado será salvo, mas quem não crê já está condenado”. Ou seja, arrependa-se primeiro, e cada um seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados, como disse Pedro no livro de Atos.

      Veja no verso abaixo que a palavra purificação e batismo referem-se ao mesmo assunto para os discípulos de Joao e os judeus, ou seja, são sinônimas, mostrando que nossos irmãos estão corretos, quanto a interpretação do batismo.

      JOAO 3:25,26 “Houve então uma questão entre os discípulos de João e os judeus acerca da PURIFICAÇÃO.E foram ter com João, e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tu deste testemunho, ei-lo BATIZANDO, e todos vão ter com ele.”

      Portanto, não somente a CCB crê que o batismo é feito para perdão dos pecados daqueles que creem nas palavras do Senhor Jesus e arrependem-se de coração, mas judeus da época, e os primeiros irmãos também. A questão em pauta era por que Jesus batizava, porém, vê-se claramente que batismo, no princípio do verso, foi tratado como purificação.

      Deus o abençoe.

      • Irmão João1…

        O batismo não salva e nem purifica os pecados meu caro. A fé nos salva e purifica nossos pecados. Como resultado de nossa fé nos batizamos. O batismo é um sinal, uma declaração de que estamos salvos meu caro irmão. O batismo não tem poder, isto está claro.

        Não podemos utilizar versos isolados para contestar toda a ênfase do novo testamento, que é a salvação pela fé.

        Se uma pessoa batiza sem saber a essência do batismo (que é a declaração da fé em Jesus Cristo), sem ter conhecimento do que é Graça, realmente está tomando um banho. A expressão é corretíssima.

        É muito errado também usar a expressão nascer da água comparando com o batismo. No novo testamento inteiro, o “nascer da água” NÃO foi utilizado como batismo meu caro irmão. Lembre-se também que o batismo de João era diferente do batismo cristão meu caro irmão.

        Veja isso:

        O que significa “nascer da água e do Espírito”, conforme a afirmação de Jesus em João 3.5?

        NORMAN GEISLER: Esta passagem é apresentada como prova de que o batismo é uma condição necessária à salvação. Há várias razões para rejeitarmos esta interpretação. Primeiro, a palavra batismo não está aqui incluída, e a expressão “nascer da água” não é utilizada para se referir ao batismo em nenhuma outra parte do Novo testamento. Segundo, este ponto de vista é contrário ao contexto imediato e, na verdade, ao contexto maior do evangelho de João. Como temos visto, repetidas vezes, somente a fé é mencionada, no evangelho de João, como condição para a salvação (cf. 3.16; 18.36; 5.24; 20.31). Se o batismo fizer parte daquilo que é necessário para a salvação, então o evangelho inteiro de João erra na sua apresentação do plano divino de salvação. Terceiro, considerar João 3.5 como uma referência à necessidade soteriológica do batismo vai de encontro ao restante do Novo testamento, e a Palavra de Deus não se contraria a si mesma. Quarto, existem outras maneiras possíveis de se interpretar João 3.5 que não envolvem o batismo como algo necessário para se receber a vida eterna. (1) “Nascer da água” pode se referir a água do útero (o líquido amniótico), ou ao nascimento físico. Isto se encaixa com o contexto, uma vez que Jesus acabara de dizer que o nascimento físico de uma pessoa é insuficiente para esta receber a vida eterna. É necessário termos também um nascimento espiritual. (2) “Nascer da água” pode se referir a água da Palavra (cf. Ef 5.25). Significa que, somente podemos nos salvar por intermédio do poder transformador da Palavra de Deus (cf. 1 Pe 1.23). Ou, (3) como Jesus esta conversando com um líder judeu, logo depois de João Batista ter anunciado que o seu batismo era insuficiente para conceder o Reino (mas que o Cristo batizaria com o Espírito [Jo 1.33]), o “nascer da água” pode se referir ao batismo de João anteriormente mencionado (1.26). Isto se encaixa com a mensagem de João, que dizia as pessoas: “Arrependei-vos, porque e chegado o Reino dos céus” (Mt 3.2) e que de outro modo Nicodemos não “veria” a chegada visível do Reino (cf. Mt 19.28; 24.30). Seja como for, não ha motivo para entendermos esta passagem como base para o ensino de que o batismo nas águas e necessário para a salvação. (4)

        Fonte: http://pastorgilsonsoares.blogspot.com.br/2012/11/o-que-e-nascer-da-agua-e-do-espirito.html

        Reflita em tudo isso. Olhe o contexto inteiro do novo testamento.

        Deus o abençoe!

        • Caro irmão Samuel, o argumento de que somente a fé em Jesus Cristo perdoa pecados, e que é impossível aquele que crer não aceitar o batismo é falho, e não condiz com as Sagradas Escrituras. O que perdoa pecados são a fé e a obediência, e não somente a fé. Ambas devem andar lado a lado, uma não funciona e não agrada a Deus sem a outra. Por isso está escrito:
          ” E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”.
          Somente a fé é insuficiente para salvar-nos, pois ela sem obras (obediência) é morta. As obras não são consequência daquele que crer, mas daquele que ama e entende a Palavra de Deus.

          Assim sendo, eu posso ter tanta fé em Deus de maneira que, em nome de Jesus Cristo, possa fazer o paralítico andar e o cego vê, no entanto, se eu não obedecer os santos mandamentos, o amor de Deus não está em mim aperfeiçoado, e para nada adianta essa fé. Por outro lado, se eu observar os mandamentos, e não tiver fé que eles foram deixados para que eu tenha vida no Senhor, e os pratique por outro motivo, também não é válido. Lembre-se que o nosso inimigo também tem fé em Deus, e muito mais do que nós. A este já não resta mais nada além da condenação, pois já teve a sua chance de obedecer, porém preferiu a rebelião. Há pessoas por aí, inclusive filhos de nossos irmãos crescidos no seio da irmandade, que creem no Senhor Jesus, porém a fé destes é insuficiente para salvá-los por enquanto, pois não vem acompanhada de obediência.

          Eu já citei aqui alguns versos como prova que o batismo feito em nome do Senhor Jesus é o primeiro passo ( ou primeira obra de fé) para herdarmos o reino do céus, porém os irmãos continuam achando que eu uso texto fora de contexto. Agora preste atenção em mais um, e reflita comigo só mais um pouco:

          “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

          Veja que neste verso o Senhor explica que tornar uma pessoa discípulo Dele, é batizá-la. Diante disso, para quem ainda não entendeu, ser discípulo de Cristo é ser salvo da morte que havia em Adão, ressuscitando para a vida debaixo da graça de Jesus Cristo através do santo batismo, o qual é feito por fé.

          Outro ponto que precisa ser explicado é a respeito do verso: “Três são os que testificam na terra: a água, o sangue e o Espírito.Eu comparei nascer da água com o batismo.O irmão está correto nesse ponto, representa mesmo a água da Palavra. Porém, quero que o irmão entenda que, assim como é necessário tomar do sangue na santa ceia para ter vida, também é necessário passar pelas águas para ser limpo do pecado (salvo exceções). Então, logo o irmão vai dizer que quem nos limpa do pecado é a Palavra, vivificada em nós pelo Espírito Santo, e é verdade. Daí, eu pergunto: O batismo e a ceia não fazem parte dessa mesma Palavra que limpa do pecado? E um ato de fé feito por cristãos não tem poder de perdoar os pecados daquele que crer? Porventura não está escrito que os discípulos de Cristo recebem o Espírito Santo, e a quem perdoam os pecados lhes são perdoados?

          Portanto, a CCB apresenta ao pecador Jesus Cristo e constrange o tal ao arrependimento e, depois lhe sugere o batismo nas águas, tal qual o Senhor ordenou. Isso já é o suficiente.Agora dizer que tomou um banho em um ato de santo batismo, feito e guiado pelo Espírito Santo de Deus, além de agredir a nossa fé, chega a ser, no mínimo, uma blasfêmia contra o Guia desse povo.

          Deus o abençoe.

          • Irmão João, a Paz de Deus meu caro.

            O irmão disse o seguinte:

            “O batismo é feito para perdão dos pecados, assim como a santa Ceia é tomada anualmente nas casas de oração para que tenhamos vida, e vida com abundância no Senhor.”
            E no comentário seguinte
            “porém, quero que o irmão entenda que, assim como é necessário tomar do sangue na santa ceia para ter vida”

            Irmão João, eu creio que o irmão está completamente equivocado sobre o significado da Santa Ceia. Não vou entrar em discussão, vou apenas deixar um trecho da Palavra para o irmão ler e meditar.

            “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
            E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
            Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
            Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.”
            1 Coríntios 11:23-26

            Na Santa Ceia, conforme instruídos por Paulo, que recebeu esse ensinamento do próprio Jesus, relembramos a morte do nosso Salvador e anunciamos a uma só voz (como Igreja) a nossa crença inabalável na Salvação obtida por esse sacrifício, único meio de apaziguar a justa ira de Deus pelos pecados que nós cometemos.

            Deus o abençoe,
            Vitor, CC em Portugal

          • Irmão Vitor, Deus o abençoe pela explanação a respeito da Santa Ceia. Porém, veja o que Jesus explica aos judeus antes de ordenar a Santa Ceia, o que reforça a minha crença de que se não comermos do pão e do vinho, que são o corpo e o sangue de Cristo, não teremos vida:

            Joao 3:53 “Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.”

            É preciso tomar muito cuidado para não perdermos a simplicidade da nossa fé. Se tenho fé que vinho e pão é o corpo e o sangue do Senhor, depois de apresentá-los em oração ou abençoá-los, então vinho e pão são o corpo do Senhor, pelo menos para mim que creio.

            Somente para concluir, Jesus primeiro abençoa o pão, e, só a partir disso então, diz que o mesmo é o seu corpo:

            Mt 26: 25 ao 28 “E, respondendo Judas, o que o traía, disse: Porventura sou eu, Rabi? Ele disse: Tu o disseste.
            E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.
            E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.”

            Deus o abençoe

          • Irmão João,

            Como o irmão Vitor disse, o equívoco aqui é colocar o poder indevido no batismo e na Santa Ceia.

            Ambos não salvam, não purificam e não dão vida. Entretanto, o crente salvo sente a necessidade de se batizar e também de participar da Santa Ceia. Isto é fato.

            Com relação ao verso de atos que o irmão citou, veja o que o irmão Vitor escreveu abaixo:

            “Que diferenças há entre estes dois eventos?
            “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”
            Atos 2:38

            “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor,”
            Atos 3:19

            Um menciona o baptismo, o outro não, pela boca do mesmo Apóstolo! Se fosse condição OBRIGATÓRIA(!!!!) não estaria incluído também em atos 3?
            Mais, Paulo não menciona o ato do baptismo como necessário em nenhum dos seus escritos, nenhum!”

            Agora veja em Efésios 1:13:

            “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa”

            Em Efésios, fica claro que somos selados com o Espírito Santo quando cremos. Estaria em desacordo com o que está em Atos, pois lá é informado que recebemos o Espírito Santo após o batismo?

            De maneira alguma. Se encontramos várias passagens na bíblia afirmando que a fé é que salva e limpa nossos pecados, e em dois versos apenas menciona o batismo, temos que procurar entender todo o contexto meu caro irmão. Teria Pedro dito uma coisa em Ato 2 e outra em Ato 3 como citado acima?

            O que Pedro disse no verso citado pelo irmão é, conforme citado abaixo:

            “Irmãos, vocês poderão ficar livres da culpa confessando publicamente fé em Jesus, e a maneira de declararem isto é sendo batizados em águas pelo nome d’Ele; e foi o que eles fizeram.”

            Com relação as obras para salvar meu caro irmão João1, eu lhe pergunto. Podemos utilizar um verso isolado do livro de Tiago para contender com toda a base do novo testamento?

            O que poderemos dizer desse verso e de outros?

            “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9), e em várias outras cartas, como em Romanos 3:37, Romanos 4:1-6, Romanos 5:1, and Gálatas 2:16-21.

            Esses versos de Tiago vão derrubar todos esses outros? Não, de forma alguma. Analisando o contexto, o que Tiago quis dizer é que por estarmos salvos, procuramos ter boas obras. Novamente, as boas obras são a consequência de estarmos salvos, assim como o batismo e a Santa Ceia.

            Se Paulo ensinava aos novos crentes da Asia que somente a fé salva, Tiago lembrava aos crentes de Jerusalem que fé que salva não é isolada. A genuina fé em Cristo é sempre seguida de boas obras.

            Esse é um grande problema da CCB, por causa de dois versos isolados da epístola de Tiago e dois versos isolados que aparentemente dizem que o batismo é quem purifica os pecados, ignora-se dezenas de versos e todo um contexto do novo testamento. Então criam-se diversas “lendas urbanas”. Como o orgulho denominacional não deixa assumir que estivemos errado o tempo todo, procuramos um verso fora do contexto para tentar “justificar” o que os anciães nos ensinaram a vida toda.

            Reflita irmão. Ninguém merece a salvação, por isso a Graça é um favor imerecido. Quem entre nós pode dizer que tem obras boas o suficiente para salvação? Nenhum. Nossa carne é corruptível, somos pecadores por natureza, mas a fé nos justifica. A resposta ao pecado é a diferença entre o crente salvo e o não salvo.

            Deus o abençoe irmão João1.

          • Irmão João1,

            Só mais um detalhe.

            Crer, não é o acreditar na existência de Deus, como até o demônio crê. Crer é um conjunto. É acreditar em Jesus Cristo e que Ele através do Seu sacrifício nos salvou, mesmo não sendo merecedores, e consequentemente seguiremos sua Doutrina. Após isso estamos salvos e declararemos isso através do batismo.

            Quando falamos Crer em Jesus Cristo, falamos de um conjunto, e não o acreditar em Sua existência.

            Fora isso, de maneira muito irresponsável, a CCB ensina que devemos esperar Deus nos “chamar” no batismo. Uma heresia, já que o batismo deve ser feito imediatamente crermos em Jesus Cristo, o que é uma decisão pessoal e voluntária. Precisamos que Deus nos avise através de um “chamado”, que cremos N’Ele? Claro que não!!!

            Por causa disso, muitos que já tem a Fé não se batizam, porque ainda não foram “chamados”. Essa é mais uma “lenda urbana” criada pela CCB que o orgulho denominacional não nos deixa corrigir.

            Deus o abençoe!

          • Irmão João,

            Essa sua idéia sobre a Santa Ceia, que é passada pela cultura oral da CCB, nada mais é que a doutrina católica da transubstanciação. Amado irmão, Jesus falava por metáforas. Essa passagem que o irmão disse estar em João 3:53, mas na verdade é João 6:53, foi totalmente tirada fora do contexto caro irmão. Em momento algum Jesus se referia a Santa Ceia. Ele disse por metáforas, Eu sou o pão da vida, após o milagre da multiplicação de pães caro irmão.

            Jesus fez essa analogia com o pão, por causa do que é mostrado abaixo:

            João 6:26
            Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.

            Não tem nada a ver com Santa Ceia querido irmão. O povo buscou-o por esse motivo citado no verso.

            E comer o pão que desceu dos céus é crer em Jesus Cristo irmão.

            Veja:

            E logo Jesus compara o pão com Sua carne:

            João 6:51-54
            Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.
            Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer?
            Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.
            Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.

            Agora compare esses dois versos do mesmo capítulo:

            João 6:53
            Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.
            João 6:40
            Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

            Irmão, diga sinceramente. comparando esses dois versos do mesmo capítulo, é possível afirmar que a expressão “comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue” com a Santa Ceia???

            Claro que não, é uma analogia referindo-se ao Sacrifício do Senhor Jesus Cristo. Se refere a fé! Comer o pão e beber o Sangue significar quer no Senhor Jesus Cristo e que Seu sacrifício nos salvou.

            Está muito claro meu irmão. Mais claro que água cristalina. A simplicidade da fé, não pode ser comparada ao orgulho denominacional. Não é porque ouvimos algo a vida toda, que esse algo está certo. Eu estou apresentando o que está nas escrituras. É só ler com atenção. Ler o capítulo todo. Um verso isolado não ajuda.

            Para complementar, por favor, leia no link abaixo o que o irmão Mario Persona explica a respeito da transubstanciação, essa doutrina infelizmente pregada na CCB.

            http://www.respondi.com.br/2005/06/bblia-fala-da-transubstanciao.html

            Me perdoe se pareço ríspido ou chato irmão. Falo isso com amor. Não é para desanimar com a CCB, e sim para ajudar. Não sou dono da verdade. Não precisa acreditar em mim. Verifique nas escrituras. Olhe o contexto. Leia o capítulo todo.

            Deus o abençoe!

          • Irmão Samuel, Deus o abençoe pela paciência e pelo amor com que o irmão tem-me tratado, pois já deu para ver que sou muito teimoso (a minha esposa que o diga).

            Pois bem, a seu pedido analisei o texto do Mario Persona e reli Joao 6 e I Coríntios 11. Confesso que o homem explica muito bem.

            Assim sendo, espero que o irmão entenda o nosso lado (CCB). Todos nós sabemos que o pão e o vinho não se transformam magicamente em carne e sangue na celebração da Ceia. E é isso que o Mário Persona e os demais estudiosos acreditam que pensamos, ridicularizando, assim, a nossa fé. Não seríamos tolos o suficiente para acreditarmos nisso. Ou o irmão já viu algum irmão que preside o santo serviço dizer: “Olhem, vejam como o vinho e o pão ficou com gosto de sangue”. De maneira nenhuma, acredito que nunca ouviu. Porém, após apresentar o pão e o vinho em oração a Deus, os mesmos passam a ser tratados espiritualmente como carne e sangue do Senhor. A partir daí, os tais são levados tão a sério, a ponto de a Bíblia dizer que quem os come indignamente, os come para própria condenação.

            Agora com relação a João 6, o corpo e o sangue mencionados ali representam logicamente o Pão que é a Palavra que nos alimenta, e nos dá a vida debaixo da Graça. Quem não come desse corpo não pode herdar o reino por Deus preparado desde o princípio. Disso eu não tenho o que discordar do irmão, eu sempre soube. No entanto, comer e beber da Palavra significa amar e obedecer a Mesma. Por isso, acredito que o que Jesus explicou ali em Joao 6 tem participação na maneira como devemos celebrar e considerar a Santa Ceia, pois, como já havia falado, a celebração da Mesma também é Palavra de Deus, assim como o ato do batismo, pois todos quantos são batizados em Cristo são revestidos de Cristo. Portanto, em Joao 6, Jesus falava do seu corpo e do seu sangue, na celebração da Santa Ceia comemos e bebemos o seu sangue, então acredito que posso aferir que o capítulo mencionado acima tem relação direta com a maneira de celebrarmos a morte do Senhor. Fui infeliz ao não explicar antes que corpo e sangue do Senhor também é a sua Palavra.

            Deus o abençoe.

          • Obs.: O motivo de enterrarmos a sobra da Santa Ceia é o mesmo pelo qual enterramos bíblias e hinários, ou seja, todo são considerados Palavra de Jesus Cristo ou parte do seu corpo.

  14. O baptismo não é necessário para a alma se salvar, e quem disser o contrário deve considerar seriamente a hipótese de ir fazer evangelização para as tribos Berberes do Sahara na Tunísia.

    Somos em todos os aspectos uma Igreja confusa, fruto da nossa inexistente preparação doutrinal no que diz respeito ao conhecimento das Escrituras. A nossa soteriologia é apenas um exemplo entre muitos.

    Da mesma forma, a nossa teologia prática faz lembrar um músico de baile de aldeia aqui em Portugal: Se não houver mais ninguém, ele toca os instrumentos todos. Toca-os mal, porque nunca teve formação apropriada mas toca-os a todos, e quem não gostar que procure outro baile!

    Assim somos nós:
    – desde a transubstanciação católica nas Santas Ceias (quem não sabe o que é isto, que pergunte o que é feito nas nossas Igrejas com o pão que sobra)
    – aos hinos calvinistas
    – às pregações arminianas
    – salvação pelo nascimento e obras judaico “agradeço a Deus ter nascido NA Graça e por me manter firme e fiel até ao presente momento…” podem enganar uma igreja inteira, mas não enganam ao único que interessa
    – às orações obrigatórias estilo Islão (ao levantar, ao deitar, antes de comer, etc, etc, um dia inventam que temos de orar antes de orar)
    – ao exclusivismo da salvação ao estilo dos piores cultos TJ´s e Mórmons
    – ao foco nas experiências misticas pessoais dos ministros da palavra na altura da pregação ao melhor estilo neo-pentecostal contrapondo com a revelação FECHADA que compôe as escrituras às quais nada se deve acrescentar
    etc
    etc
    etc
    São tantas camadas em cima do Evangelho que para mim é uma surpresa como ainda nos consideramos uma Igreja Cristã.

    Se eu disser aos irmãos que não ouço as palavras “Jesus” ou “Cristo” numa pregação da minha Igreja há mais de um mês, os irmãos vão pensar que eu estou a brincar.
    Antes estivesse.

    Também aproveito para partilhar o momento do meu baptismo, com 26/27 anos (não me recordo ao certo):
    Fui assistir ao primeiro baptismo já com o propósito de me baptizar. Foi aberta a liberdade para os “testemunhados” se levantarem, eu perguntei ao irmão do lado se já podia ir, ele disse que sim. Fui.

    Uns 5 anos depois… Deus me fez saber o que era o Evangelho bíblico (fora da congregação, porque o que se prega dos nossos púlpitos, infelizmente, é tudo menos bíblico) e converteu o meu coração. Não é Deus maravilhoso?

    Se eu tivesse morrido nesse espaço de tempo (e a Palavra não mente) tinha ido parar ao inferno, disso não tenho a menor dúvida.
    Há irmãos que se assentam nos primeiros lugares das congregações e que se levantam para pregar ao povo que não imaginam o que a sua ignorância bíblica causa na vida das pessoas que Deus confiou nas suas mãos. Dão mais importância a pessoas molhadas do que a corações regenerados.

    Irmão Eleotério, no amor de Deus, lhe peço e rogo encarecidamente, muna-se de bons livros do Cristianismo reformado e veja o quão desviada está esta nossa Igreja da verdade da Escrituras. Ainda vamos todos a tempo de ver a noiva de Cristo brilhar novamente.

    Me perdoem a extensão do comentário.
    Deus a todos abençoe,
    Vitor, CC em Portugal.

    • Cristão Ortodoxo disse:

      Irmão Vitor, desculpe-me pela intromissão, mas, muna-se das Escrituras Sagradas e do histórico do Cristianismo Primitivo, e verás que o Cristianismo Reformado e sua vertentes nada mais é do que “….. um pálido reflexo e uma caricatura da verdade…” que os primeiros cristãos pregaram. Mas como disse Irineu de Lyon ” O erro nunca se apresenta em toda sua nua crueza, a fim de não ser descoberto. Antes veste-se elegantemente, para que os incautos creiam que é mais verdadeiro do que a própria verdade”. Concordo que a CCB tem seu dilemas, mas são pequeníssimos em relação à escuridão Reformada.

      Deus vos abençoe.

      • Caro irmão Cristão Ortodoxo,
        Intrometa-se sempre, as suas mensagens são sempre uma óptima fonte de informação e conhecimento.

        Quanto à sua advertência, lhe garanto que a minha soteriologia (bem como as restantes áreas da teologia) é reformada BÍBLICA, e não apenas reformada.
        Eu confiro os ensinamentos que aprendo de x, y ou z diretamente nas Escrituras. Analiso tudo, retenho o que é bom (verdade).

        Quanto aos escritos dos Pais da igreja, me perdoe, mas eu já li muita coisa, inclusive postada pelo irmão que, fruto de uma confusa tradição oral nesses tempos, chocam de frente com o que está perfeitamente declarado nas Escrituras, única e perfeita guia de fé e conduta Cristã.
        Entre os escritos patrísticos e os 66 livros do cânone bíblico da Reforma, eu sigo estes últimos.

        Igualmente, acho que o mundo académico está hoje mais preparado para traduzir de acordo com o que era a intenção original dos originais autores da Bíblia, no que diz respeito ao Grego do NT, mas também do Hebraico e Aramaico do AT, pelo que uma boa tradução dos tempos atuais é muito mais fiel aos manuscritos originais do que os que havia no tempo desses chamados Pais da Igreja.

        Alguns olham para a Reforma do séc 16 e enxergam homens maus a substituir homens horríveis, eu vejo o destronar de uma Igreja do púlpito espiritual dos povos do mundo ocidental, substituindo-a pela Bíblia. Esse foi para mim o maior feito da Reforma protestante. Cada um dispõe de pelo menos uma bíblia, cada um pois leia e medite nela.

        Sobre o batismo:
        Quem insiste em dar ao batismo um valor salvífico é porque nunca leu a Bíblia na sua totalidade, mas apenas atenta para uns poucos versículos que isso aparentemente indica.

        O próprio irmão disse num dos primeiros comentários que o batismo é um símbolo. Como pode um símbolo significar algo mais do que isso mesmo?
        – Pode um pedaço de pão tornar-se a carne de Cristo? Não, é apenas um simbolo do sacrifício do Senhor, para nossa constante lembrança, e é dessa forma que somos exortados pela BÌBLIA a sentar-nos à mesa do Senhor.

        – Pode um pedaço de madeira ao alto numa parede de Igreja significar o local onde Cristo morreu? E um pedaço de metal ao peito, pode? Não, é apenas um símbolo. (um dia haveremos também de discutir aqui, de forma saudável, claro, a fobia fundada na ignorância que os membros da nossa igreja têm da cruz, seja numa parede, seja no pescoço de alguém… lá está, os “líderes” não explicam -> as ovelhas vivem na ignorância…)

        – Pode um bocado de H2O (fórmula química da molécula de água) limpar o homem dos pecados que cometeu contra Deus? O que vem a seguir, engarrafar essa água para começar a benzer pessoas quando as formos visitar enfermas?

        Qual é desde o princípio dos tempos a fórmula (desculpem um termo tão leviano para representar uma verdade tão profunda, mas apenas o faço para tentar explicar melhor o meu ponto de vista) para a salvação do Homem? Crer em Deus!! Acreditar que Deus providenciará uma forma de nos salvar!! Deus, e NÂO nós.

        E creu ele (Abrão) no Senhor, e imputou-lhe isto por justiça.
        Gênesis 15:6

        Antes de Jesus vir ao mundo, como é que as pessoas se salvavam? Eram por serem mergulhadas na água ou por crerem em Deus?
        E já depois de Jesus estar no mundo, quem se salvou APENAS por se molhar?

        Se o baptismo fosse uma condição obrigatória, não era espectável que o Espírito Santo, quando inspirou os autores da Bíblia, o declarasse de forma inequívoca nos sítios onde é apresentado o Evangelho?

        Que diferenças há entre estes dois eventos?
        “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;”
        Atos 2:38

        “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor,”
        Atos 3:19

        Um menciona o baptismo, o outro não, pela boca do mesmo Apóstolo! Se fosse condição OBRIGATÓRIA(!!!!) não estaria incluído também em atos 3?
        Mais, Paulo não menciona o ato do baptismo como necessário em nenhum dos seus escritos, nenhum!

        Comparar as escrituras com as próprias escrituras, o princípio hermenêutico chamado analogia scriptura, é basicamente o que falta a todo aquele que deseja compreender o significado das palavras da vida em todo o seu esplendor.

        Findo isto, declaro:
        Todo o Cristão deve se baptizar, mas esse baptismo não tem qualquer valor salvífico, sendo apenas uma declaração pública de uma fé intima na obra já completa por Jesus na cruz.

        “Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.”
        João 17:17

        • Cristão Ortodoxo disse:

          Irmão Vitor sinto muito, mas a tradução das escrituras em outros idiomas existia bem antes da Reforma. Temos grupos de cristão como o Paulicianos, Albigenses, Valdenses os cristãos escandinavos que traziam consigo as escrituras já traduzidas. A reforma apenas contribuiu com uma ampla divulgação das escrituras no mundo católico. Já os primeiros cristão tinham cópias dos escritos originais e ainda alguns haviam ouvido o evangelho soar da boca de algum apóstolo, assim podemos dizer que foram testemunhas verazes. Claro que temos que comparar tais escritos (séc I ao III) com as escrituras sagradas, e digo-lhe que a maioria deles seguem a lógica do texto bíblico. O problema e que tais escritos foram divulgados em uma época em que todos se acham convictos de seus dogmas. Me desculpe esse jargão, mas ” é como se tivesse jogado coco no ventilador” ai meu irmão atingiu a todos. Ninguém quer assumir a paternidade da criança porque acham que um retrocesso espiritual. Quanto ao batismo deixei bem claro que as águas por si só não tem poder de lavar pecados. Mas o batismo é um símbolo de aliança com Cristo.

          Deus vos abençoe.

        • Cristão Ortodoxo disse:

          Irmão Vitor, vc com seu questionamentos e conclusões (“Um menciona o batismo, o outro não, pela boca do mesmo Apóstolo! Se fosse condição OBRIGATÓRIA(!!!!) não estaria incluído também em atos 3?…..Pode um pedaço de pão tornar-se a carne de Cristo? Não, é apenas um simbolo do sacrifício do Senhor?……”) remonta um período de guerra espiritual vivido pelos primeiros cristão. Iniciando desde Márcion, passando por Nícolas (Nicolaítas), Cerinto, Carpócrates, Saturnino etc….. Período este onde descaracterizavam o Batismo, a ceia do Senhor, o livre arbítrio etc….

          Vejamos:

          Todos esses mandatos não contradizem nem anulam os antigos, como andam vociferando os marcionitas; senão que os ampliam e aperfeiçoam, como ele disse: “Se sua justiça não fosse melhor do que a dos escrevas e fariseus, não entrarão no reino dos céus” Que significava melhor? Em primeiro lugar, não crer só no Pai, senão também no Filho que já se tinha manifestado: pois este é o que conduz ao ser humano à comunhão e unidade com Deus. Em segundo lugar, não só dizer, senão atuar, pois eles diziam e não faziam, e não só abster-se de fazer mau, senão também de desejá-lo. Irineu (180 d.C.)

          (Os Gnósticos) abstêm-se da eucaristia e da oração, porque eles não aceitam que a eucaristia seja a carne de nosso Salvador Jesus Cristo… Aqueles, por tanto, que falam contra este dom de Deus, perigam de morte. Ignácio (105 d.C.)

          Os homens desta classe (os Gnósticos) foram instigados poro diabo a negar o batismo, o qual é a regeneração de Deus. Irineu (180 d.C.)

          (Segundo os hereges) o batismo não é necessário, pois basta a fé. Tertuliano (197 d.C.)

          Certos homens (os hereges) que sustentam idéias contrárias, interpretam mau estas passagens. Eles destroem o Livre arbítrio por introduzir (a ideia) de uma natureza pecaminosa e incapaz de salvação, enquanto sustentam que outros podem ser salvos, de tal forma que não podem perder a salvação. Orígenes (248 d.C.)

          Deus vos abençoe.

    • Uau…

      Que comentário..

      Deus muito te abençoe

  15. Evangelista Cristão

    Se batizar na agua não fosse necessário, Cristo jamais teria batizado no rio Jordão, afinal ELE era limpo, sem pecado,mas, ELE disse; João batize-me para que cumpra toda justiça.

    Cristo disse; Ide por todo mundo pregai o evangelho a toda criatura, quem crer E (E) for batizado será salvo. Quem não crer já está condenado.

    Esta letra e (E) nada mais é do que uma condição, ou seja, primeiro crer, depois vem a prova concreta que creu que é o ato de batizar. Se alguém realmente crê em Cristo esta pessoa imediatamente prova, batizando-se.

    Alguns não batizam porque tem medo de continuarem pecando e, sabem que o ato de batizar lava os pecados atos 22 vs 16 – batismo perdoa pecados atos 2 vs 38.

    Paulo disse; Até o demônio crê em Deus – Tiago 2 vs 17.

    O que estou postando não é minha opinião pessoal,nem ponto doutrinal de denominação. Estou descrevendo o que está na biblia e, para salvar-nos temos que LER a biblia e colocá-la em prática.

    Para salvar-nos tem 2 condições; Crer e batizar,mas, para ser condenado só uma coisa nos condenaría; Quem não crer já está condenado !!

    Mais uma vez eu repito; Para salvar é necessário primeiro CRÊR (CRÊR),mas tem uma condição; E (E) ser batizado. Quem falou isso foi Cristo, será que alguém sabe mais que ELE ???

    Evangelista Cristão postando o que Cristo disse…………

    • Caro irmão Eleotério,

      Ninguém aqui disse que o batismo não é necessário. Como dizemos aqui, o batismo é um sinal de que estamos salvos. A nossa fé justifica nossos pecados e nos salva. Após sermos salvos, em obediência, nos batizamos declarando nossa fé. Mas não foi o nosso batismo que limpou os pecados. Foi a fé. Está claro em todo o novo testamento

      Crer em Deus não é o acreditar em sua existência, como até o demônio crê. Crer é um conjunto. É acreditar em Jesus Cristo e que Ele através do Seu sacrifício nos salvou, mesmo não sendo merecedores, e consequentemente seguiremos sua Doutrina. Após isso estamos salvos e declararemos isso através do batismo.

      Agora é ERRADÍSSIMO o que ensinam na CCB, que o batismo purifica nossos pecados. Dizem que Deus tem que nos “chamar” para o batismo, visto que na bíblia é claro que após crer, temos que nos batizar (não precisa de “chamamento”). Precisa Deus avisar que cremos? Não deveria ser uma decisão pessoal, o crer?

      Pior, é o que o irmão admitiu, dizendo que algumas pessoas tem medo de batizar, por medo de pecarem posteriormente. Pergunto:

      – Quem de nós pode garantir que não pecará depois do batismo???

      Diferente do que ensinam na CCB, pecar não é sinônimo de adultério e fornicação. Pecar é errar, e erramos constantemente. Por isso que a Graça é um favor imerecido.

      Logo, se uma pessoa crê em Jesus, mesmo sem o batismo, o pecado será o mesmo, não muda em nada. Essa é mais uma lenda urbana da CCB. Pode fazer o que quiser antes do batismo, pois o batismo vai lavar tudo mesmo (esse é o pensamento de muitos na CCB). Que absurdo vergonhoso. Já vi casos de irmãos que cometeram pecado de fornicação e foram condenados ao inferno pela doutrina pregada em nosso meio. O outro espertinho, esperou mais tempo para se batizar, cometeu fornicação conhecendo o evangelho igualzinho o outro que cometeu fornicação já batizado, e depois se batizou. Esse está salvo e o outro condenado.

      O povo da CCB pensa que Deus é bobo. Pobres coitados.

      Só há dois versos na bíblia que relacionam o batismo com a purificação dos pecados, Atos 2:37 e Atos 22:16. Por isso devem ser interpretados de acordo com o contexto do capítulo, não isoladamente como a CCB faz. Agora a remissão dos pecados pela fé, é largamente mostrada na bíblia, É algo consolidado.

      Reflita nisso irmão Eleotério.

  16. Na minha humilde opinião , creio que conseguiram “complicar” o Evangelho de Cristo. Coitado dos analfabetos, deficientes mentais , etc… Não terão chance nenhuma!

    Calvinismo?
    Arminianismo?
    Remonstrância?
    Wesleyano? etc, etc…

    Que é isso?

    Agora,sei quem é , o Espírito Santo(pois eu o sinto) que se apresenta a mim e opera, conforme a minha precária compreensão e que faz com que “a vereda do justo seja como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” Também reconhece quando é o mesmo Espírito .Ele nos guia em toda a Verdade!

    A essência do caminho que ELE deixou é tão simples de se entender: “Amar à Deus acima de tudo e ao seu próximo como a si mesmo” e outros ensinamentos que já conhecemos.

  17. Evangelista Cristão

    Deus em sua infinita sabedoria deixou claro na biblia que aquele que mais lhe é dado mais lhe será requerido – Lucas 12 vs 48.

    Baseado nisso aqueles que não conhecerem a ordenança do que está no novo testamento, serão julgados segundo o seu pequeno entendimento.

    Nos seremos julgados segundo nosso entendimento e aquilo que lemos conhecimento do no novo testamento. (as tribos serão julgadas segundo o entendimento deles).

    Jamais a medida de Deus para as tribos será igual a medida para conosco.

    Ë lógico que em tudo prevalecerá a misericordia Divina !!

  18. Jesus ordena o batismo em água porque a água representa limpeza, purificação, porém a água em si não possui nenhuma propriedade mágica, que porventura limpe o pecado do pecador. A biblia é muito clara, os nossos pecados são purificados pelo sangue de Cristo ( I Pedro 1:18-19; I João 1:7). O pecador se apropria desta purificação após Deus trabalhar em seu coração e lhe conceder a fé para crer em Cristo (Fp 1:29). Veja que o apóstolo Paulo teve seus pecados lavados não pelas águas do batismo mas sim por invocar o nome do Senhor, preste bem atenção no texto de Atos 22:16 ” E agora o que te detens? Levanta-te e batiza-te, E LAVA OS TEUS PECADOS INVOCANDO O NOME DO SENHOR.” O texto é claro, não diz que foi a água que o purificou mas sim o invocar o nome do Senhor. A água ali representou sua purificação.

    O cerimonial do batismo instituído pelo Senhor Jesus ainda possui outros significados além da purificação, que é o seguinte: Segundo Romanos 6:3-4, quando somos imersos na água, simboliza que morremos com Cristo e quando levantamos simboliza a nossa nova vida com Cristo, ver II Cor. 5:17. O apóstolo Pedro também considera o batismo como uma figura, veja I Pedro 3:21.

    • Irmão Alexandre, não é a água em si que perdoa pecados, mas o ato do batismo que engloba fé, obediência e invocação do nome do Senhor, pois os batismos são feitos em nome do Senhor Jesus. E se são feitos em nome do Senhor, com fé e obediência a sã Palavra possuem poder para limpar o pecado.

      Deus o abençoe.

  19. A paz de Deus

    Já que o nome do Blog é bem sugestivo: “Bereiano”; então vamos pensar um pouco!.

    Em Atos 10, Cornélio e os seus, faziam tudo de conformidade com os princípios do Evangelho,vs.2…
    Notamos que ‘isto somente’ não bastava para cumprir todo o propósito de Deus!.
    Foi necessário ser anunciado O Evangelho de Jesus Cristo e o que O envolvia(Doutrina): “…Ele(Pedro) te dirá o que DEVES fazer”,vs. 6. Aqui fica bem claro, que a doutrina do Batismo é necessário à todo o converso. A nós cabe cumprir. Às exceções fica por conta do Senhor que é Soberano…

    Grato

    • “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo” (Tito 3:5)

      Batismo é uma “obra de justiça”, ou seja, é justo; correto; piedoso batizar. É a ordenança do Senhor aos seus redimidos, todo redimido tem desejo e alegria em cumpri-la. Não é lógico que a pessoa que diz crer no sacrifício de Jesus e aceitar Cristo como seu único e suficiente Salvador fique sem batizar.

      DEVOCIONAL: “UM POUCO DE LUZ” (16/09/13) Por: Alceu Figueiredo

      NO DIA DE PENTECOSTES [festa das primícias ou das colheitas] no ano 33 de Era Cristã, foi o dia escolhido por Deus para o derramamento do Espírito Santo de maneira audível e visível, e foram tomados de tremendo êxtase espirituais que pareciam embriagados aos moradores de Jerusalém.

      Esse dia de Pentecostes narrado em Atos 2 marcou o começo da Igreja (Mt 16:18); e da Nova Aliança a base do sangue de Cristo, e não mais de animais, agora incluindo os gentios; foi o cumprimento da profecia de Joel feita séculos antes.

      Mas neste primeiro momento, para cumprir toda a agenda de Deus, o discurso de Pedro que se seguiu foi direcionado especialmente aos judeus, que juntamente com alguns prosélitos vindos de diversas nações e províncias, celebravam esta festa anual, uma das três mais importantes em Israel, a outra era a Páscoa e dos tabernáculos; pois a entrada dos gentios no Novo Pacto aconteceu mais tarde com o batismo de Cornélio e sua casa (At 10)

      O mais impressionante milagre neste dia de pentecostes foi o falar línguas, e numa tradução simultânea pessoas diferentes nações entendiam cada um em sua própria língua as grandezas de Deus. E foi tão impactante este momento que começou as 9 da manhã e se encerrou com o batismo de quase 3 mil almas.

      Embora seja o menor dom, pois se deve falar em línguas à Igreja só quando houver intérprete, caso contrário fale NA igreja, mas consigo mesmo e o Senhor; contudo, tem sido a marca do pentecostalismo, assim chamados, numa referência a glossolalia.

      Pedro, dirigindo-se aos de sua nação, até então depositários da verdade eterna, em razão disso, os primeiros convidados a fazer parte do Novo Pacto, expôs que o que estava acontecendo era cumprimento da profecia de Joel sobre o derramamento do Espírito nos últimos dias (dois dias de mil anos); e os sinais visavam mostrar que aquelas doze testemunhas estavam autorizadas a completar a escrita do Cânon (NT); começado por Moisés no deserto (VT) quando também apareceram sinais audíveis e visíveis da presença de Deus no Sinai.

      Pedro mostrou aos judeus que Jesus era o Descendente Santo da linhagem do rei Davi ao qual eles haviam crucificado; portanto, estavam manchados com o sangue do Justo, culpados pela Sua morte. Sentiram compungidos e perguntaram: E agora que faremos varões irmãos, para nos livrarmos dessa culpa? Pedro então disse: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo (At 2:38).

      Esta passagem tem dado margem a duas interpretações equivocadas. Uma delas é que o perdão dos pecados só acontece com o batismo nas águas, então, batismo e água ganham poder salvífico; quando na verdade o perdão dos pecados deve vir antes da pessoa ser imersa em águas. O perdão acontece no momento que a pessoa entende que é pecadora e aceita a Jesus como seu Salvador, recebe o selo (Ef 1:13, 14), e o batismo passa a ser a confissão pública.

      Outro equívoco é praticado pelos unicistas. Baseados nesta passagem ignoram a ordem dada em Mateus 28:19, e batizam somente em nome de Jesus, afirmando que Jesus era o próprio Jeová encarnado. Pedro não estava alterando a forma batismal que Jesus fornecera; Pedro estava dizendo aos judeus:

      Irmãos, vocês poderão ficar livres da culpa confessando publicamente fé em Jesus, e a maneira de declararem isto é sendo batizados em águas pelo nome d’Ele; e foi o que eles fizeram.

      • A paz de Deus

        Quando escrevo ‘Doutrina’, estou me referindo a Doutrina cerimonial do Evangelho. Para nós os Evangélicos às mais relevantes são: O Batismo e a Santa Ceia.
        Não interpretem com ‘ordenanças’ generalizadas!. Aí já é questão de foro pessoal.

        Grato

      • Irmão Bereiano, esse editorial apresentado pelo irmão começou negando que o ato de fé feito no batismo tenha poder de pedoar pecados, porém, no fim, rendeu-se a verdade contida na Bíblia de que se crermos e formos batizados seremos perdoados. Irmão, o batismo não é um obra da lei, e sim uma obra de fé. Veja o que o editorial disse:

        “Pedro não estava alterando a forma batismal que Jesus fornecera; Pedro estava dizendo aos judeus:

        Irmãos, vocês poderão ficar livres da culpa confessando publicamente fé em Jesus, e a maneira de declararem isto é sendo batizados em águas pelo nome d’Ele; e foi o que eles fizeram.”

        Portanto, o pecador arrependido precisa confessar o seu pecado publicamente para que seja salvo, e como ele faz isso? Não é nas águas do batismo invocando o nome do Senhor? Não que a água em si tenha poder, mas sim o ato do batismo, pois é composto de fé e obediência a sã Palavra. A fé só pode ser considerada como tal quando vier composta de obediência.

        Outro ponto que o irmão precisar entender é que pode até não ser lógico que uma pessoa que se diz crer no sacrifício de Jesus e aceita-o como seu único e suficiente Salvador fique sem batizar, mas tem várias por aí tem. Algumas falam tão bem do Senhor que parecem ter fé de remover uma montanha.

        Deus o abençoe

  20. ‘Nisto conhecerão todos vós que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns com os outros’.

    Jesus – de maneira clara e sucinta – disse que ASSIM se conhece um discípulo DELE.

    Enquanto isso, ‘na sala de justiça’, os religiosos CONTINUAM (há séculos!) querendo controlar a Deus com suas afirmações dogmáticas sobre fé.

    E Jesus continua lhes dizendo – de diversas formas; aqui neste blog é uma delas – que esse tipo de ‘esforço’ exigido está na contra mão do Evangelho.

    Jesus fala, fala, fala…

    E os ‘mestres’ – com suas listas intermináveis de purificação – teimam em continuar assentados ‘nas cadeiras de pedra de suas sinagogas’.

    Resistindo, intolerantes e teimosos, ao Espírito soprando.

    Fazendo ‘ouvido de mercador’ para as palavras de Jesus.

    Há mais de dois mil anos…

  21. Se é o batismo que perdoa (limpa pecados), depois que a pessoa se batiza, e comete pecado novamente, o que vai perdoar ela do pecado outra vez, outro batismo? convenhamos que pode passar um dia, e a pessoa cometa uma mentira, que é pecado, o que faremos pois?

    • Querido irmão Sersan, não é a água do batismo que possui poderes sobrenaturais, mas o ato de fé, obediência e invocação do nome do Senhor no batismo que lhe confere status de salvação. Se crer e for batizado será salvo. Então, salvo neste caso é tornar-se discípulo do Senhor, e não estar totalmente garantido no céu, pois um discípulo pode deixar de ser. O batismo é apenas o primeiro passo daquele que crer e obedece a Deus. Veja que Jesus disse ide por todo o mundo e fazei discípulos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E aí não importa se o pecador já fala em novas línguas, se é totalmente convertido ou não. Importa apenas que ele creia e obedeça a mensagem do evangelho.

      Deus abençoe

  22. Evangelista Cristão

    Texto maravilhoso logo acima do Bereiano;
    Pedro não estava alterando a forma batismal que Jesus fornecera; Pedro estava dizendo aos judeus:
    Irmãos, vocês poderão ficar livres da culpa confessando (PUBLICAMENTE FÉ) em Jesus, e a maneira de declararem isto é sendo batizados em águas pelo nome d’Ele; e foi o que eles fizeram.

    Baseado nesta frase; Fé publicamente eu faço uma comparação; Uma pessoa só existe realmente e oficialmente quando é registrada no cartório e pega a certidão de nascimento, onde tem fé pública. Uma pessoa torna-se oficialmente Cristã após ser batizado(a) publicamente ! Alí prova que realmente crêu em Cristo !!!

    Mais uma vez eu afirmo o batismo só tem validade se realmente e primeiramente a pessoa crêu em Cristo,mas, por outro lado a primeira coisa que alguém faz para provar que teve fé em Cristo é praticar outro ato de fé que é ser lavado nas aguas do Santo batismo, crendo que pela fé está sendo lavado no Sangue do concerto eterno, sendo que a agua não lava pecado,mas a fé de que o velho homem(mulher) está sendo sepultada e lavado(a) no Sangue de cristo, isto sim trás a limpeza do velho homem(mulher).

    Primeiro crê em Cristo. imediatamente prova que crêu e pela mesma fé acredita estar sendo lavado no Sangue de cristo (batismo). Sepultados com Cristo, etc, Colossenses
    2 vs 12

    Evangelista Cristão postando texto biblico, NÃO opinião pessoal…………….

    • Irmão Eleotério,

      O irmão insiste na mesma tecla.
      O batismo é a declaração e confissão de nossa fé, mas não foi ele que nos lavou os pecados como o irmão e a CCB insiste. Os pecados são lavados e limpos por nossa fé. Nossa fé salva. Uma pessoa, mesmo sem a certidão de nascimento, ela existe, está lá e não podemos negar. Mas é obrigatório registrar a todos os nascidos. A pessoa sem batizar está salva e com os pecados lavados. Mas precisa declarar publicamente através do batismo que simbolizará diante de todos o fato de ter sido salvo. Mas esse ato, o batismo, de maneira algumas lavará os pecados.

      Nem mesmo o fundador de nossa denominação relacionava o batismo com salvação. Se o irmão ler o testemunho dele no livrinho que temos, verá que ele disse que era salvo, e isso foi muito antes do batismo por imersão. Ele seguiu o mandamento do batismo posteriormente, mas disse que havia sido salvo muitos anos antes (sua esposa também).

      VAMOS EXAMINAR O TESTEMUNHO DO IRMÃO FRANCESCON:

      Ele confessa estar salvo em 1891: “Em Dezembro de 1891 tive do Senhor a compreensão do novo nascimento.”
      FRANCESCON SALVO DOZE ANOS E 9 MESES ANTES DO SEU BATISMO POR IMERSÃO

      Também declara que a Ir. Rosina, sua esposa, também fora salva em 1892: “Em 1º de janeiro de 1895, casei-me com Rosina Balzano salva também em nosso meio em princípio de 1892.”
      ROSINA SALVA NO MÍNIMO 12 ANOS ANTES DO SEU BATISMO POR IMERSÃO

      E declara também que Giuseppe Beretta, o seu batizador fora salvo em 1898: “No ano de 1898, o Senhor salvou o irmão Giuseppe Beretta por meio dos Metodistas Livres, Americanos, o qual após algum tempo uniu-se conosco, Presbiterianos italianos.”

      Viu só irmão Eleotério?????

      O nosso fundador não acreditava nessa história de que batismo salva. Ele disse que foi salvo uma década antes de se batizar por imersão. Ele seguiu o mandamento do batismo, mas em momento algum disse que foi salvo após o batismo. Precisa ser mais claro?

      Sabe o problema da CCB irmão Eleotério? É sair repetindo o que os outros falam sem conferir com a bíblia. Depois que prega a mesma coisa que ouviu há muito tempo, precisa ter humildade para admitir que estava errado o tempo todo. Como não tem humildade, é só procurar versos isolados para garantir o orgulho denominacional.

      O irmão piorou a situação ao comparar a expressão “lavado no Sangue de Cristo” com o batismo meu irmão. Não tem relação alguma.

      Reflita em Efésios 3 meu irmão…

      “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”
      Efésios 2:8

  23. O novo nascimento é o que leva a pessoa à fé, ao arrependimento e consequentemente às águas do batismo.

    Eu não acredito que um crente nascido de Deus, convencido pelo Espírito Santo, livre do poder do pecado que dantes o dominava, regenerado pela palavra da vida , convertido e convicto da sua fé em Cristo ficará muito tempo sem descer nas águas do batismo caindo em grandes e tenebrosos pecados de forma livre e consciente, sob a máxima “não sou batizado mesmo”.

    Pelas escrituras vejo que os que nasciam de Deus eram imediatamente batizados, com pouca ou nenhuma demora.

    Posto isto acredito que muitos nascem de Deus no momento do seu batismo, ou em alguns dias antes quando decidem tomar esta decisão em suas vidas.

    Não acredito no novo nascimento de pessoas que se negam em descer nas águas e ficam com pretexto de pecarem a vontade por não serem batizados.

    Fé sem obras é morta e uma fé morta é uma fé falsa e fingida.

    Mas é um gravíssimo erro da pessoa, após pecar à vontade, pensar que o batismo lhe imputara justiça diante de Deus. O tal que assim acredita somente tomou um banho d’água, continua cheio de pecados e com as vestes sujas, pois a nossa justiça vem de Deus pela fé no Redentor e não naquilo que fazemos ou deixamos de fazer.

    Há exceções, pessoas que sofreram o novo nascimento depois do batismo.

    Mas o batismo em si não ajuda em nada. Se não nascer de novo não vai crer, não vai se arrepender e não vai se batizar.

    E caso se batize não significa necessariamente que nasceu de Deus.

    E se nasceu de Deus vai se batizar.

    Se não der tempo de passar pelo batismo a sua alma estará salva, pois não é o cumprimento do mandamento em si que salva a nossa alma. Esta ordenança nos remete para uma nova esfera espiritual com Cristo e Sua igreja, mas não salva a alma. É também uma forma de declarar ao mundo a nossa morte com o Senhor e consequente ressureição com Ele, um simbolismo e um ato de fé, haja visto a responsabilidade de quem o obedece por estar confessando ser uma nova criatura em Cristo – dai a importância do mandamento.

    Portanto, se após receber o conhecimento da verdade você continua pecando deliberadamente sob o pretexto de não ser batizado estará tão somente aumentando a sua parcela de responsabilidade e culpa perante Deus. Pior do que isso é achar que o batismo lhe imputara justiça apagando todas as suas injustiças dantes praticadas.

    Desta maneira você coloca a sua obediência pessoal à parte da obediência e da perfeita justiça de Jesus Cristo dando maior valor àquilo que você faz em detrimento daquilo que Cristo fez para redimir o homem, isto é, por meio do Teu Sangue justifica-lo perante Deus quando o tal nEle deposita verdadeiramente a sua plena confiança e esperança – é justiça com preço de sangue.

    http://doutrinacristaccb.blogspot.com.br/2011/12/para-todos-aqueles-que-nao-querem-fazer.html

  24. Minha experiência pessoal sobre o batismo conto aqui:
    https://bereiano.wordpress.com/2011/11/10/da-conversao-a-linguas/

    O post que pretendia entender e explicar a edição do artigo 5 da nossa Declaração de Fé, acabou se tornando um belíssimo e produtivo debate a respeito do batismo, onde todos se respeitaram e compartilharam opiniões e experiências.

    Os comentários estão encerrados.

    Deus abençoe a todos.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: