É ler para crer!

leilaVerso áureo: “E pôs um cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus”

Leila ou Lelia Naylor nasceu no dia 15/04/1862 em Pennsville, uma pequena cidade do Estado de Ohio-EUA. Passou sua infância nas cidades de Malta e McConnelsville. Adolescente aprendeu costura, tricô e crochê. Interressou-se por música, quando ela começou a ter aulas de piano precisou  praticar na casa de um vizinho, porque a família não podia comprar um instrumento.

A situação financeira viria a piorar: Leila sofreu a perda de seu pai ainda muito jovem; para sustentar cinco filhos, sua mãe abriu uma loja de chapéus. Leila começou a tocar o órgão nas reuniões de oração, quando ela tinha apenas 12 anos de idade. Algumas fontes dizem que seu estudo foi prejudicado e seu ingresso como organista nos cultos foi retardado porque tinha poucas horas para estudar.

Em 1881, com 19 anos, casou-se com Charles H. Gabriel Morris e transferiu sua filiação à igreja do marido –  a Igreja Metodista Episcopal da Trindade. Foi muito atuante nesta igreja que tendia para o movimento ‘holiness’ (santidade). O casal frequentava muito os populares ‘camp meetings’, acampamentos de verão da época, que visava a evangelização e levar os crentes a uma vida mais santa.

Esposa submissa e dedicada dona-de-casa, costureira no lar e organista na igreja, próximo dos seus 30 anos sua vida era comum a tantas mulheres da sua congregação, quando em 1890 começou a compor hinos incentivada pelo hinista e publicador H. L. Gilmore. A partir daí Leila Naylor Morris ou Mrs (Sra.) C. H. Morris – como, muitas vezes, assinou as partituras – se tornaria a mais prolífica autora evangélica com mais de 1000 composições publicadas nos diversos cancioneiros (hinários).

Evangelistas rapidamente começaram a usar os primeiros hinos em suas missões, o trabalho deles foi muito beneficiado pelos cânticos,  que ao mesmo tempo eram divulgados. Muitas letras desta compositora foram escritas durante os encontros campais (atuais retiros espirituais) ou na volta para casa. A Sra. Morris se tornou tão conhecida nestas reuniões e admirada pelos seus hinos, que estando presente numa reunião campal (culto ao ar livre) ou serviço de renascimento (batismo), era convidada a sentar-se na plataforma (sentar-se com o ministério, como dizemos).

Por volta de 1913, esta talentosa organista começou a perder a visão. Seu filho construiu um enorme quadro negro que ultrapassava os padrões normais e pintou nele as claves e o pentagrama de tal forma que permitiram a mãe continuar seu ministério de compor hinos.

Mas a lousa especial com mais de 8,5 metros de comprimento, lhe serviu por pouco tempo. Dentro de um ano ficou completamente cega, e apesar de sua visão perdida continuou a escrever as letras de canções gospel com a ajuda de amigos dedicados. Mas isto era pouco para o seu talento.

Leila passou as letras mas guardou as músicas em sua memória, até que sua filha Fanny, também musicista, veio para uma visita anual. Leila ditou dezenas de canções – letra e música – a filha e a ensinou escrever as partituras.

Sua [outra] filha Mary e o esposo desta foram chamados para serem missionários na China, muitas pessoas diziam que Mary deveria ficar em casa cuidando da mãe cega, o que a deixava muito angustiada, mas ouviu da mãe: “Meu ministério está encerrado, vá cumprir o seu”.

placa leilaLeila Naylor Morris morreu em 23 de julho de 1929, na cidade de Auburn, estado de Nova Iorque, na casa de sua filha, e encontra-se enterrada em McConnelsville, Ohio.

A menina que não tinha dinheiro para comprar um órgão, que reprovou em alguns testes porque tinha poucas horas para estudar, tornou-se a maior hinista da igreja.

O “Hinos de Louvores e Súplicas a Deus” – hinário oficial da Congregação Cristã no Brasil – CCB começa com um hino de música de Leila Naylor Morris: “01 – Cristo meu Mestre”, cujo o título original é “Nearer, still nearer” (Mais perto, ainda mais perto) e foi traduzido em muitos hinários como : Bem junto a Cristo.

Baseado no verso áureo Elton menno Roth compôs o hino 89, atual “273 – Jesus me deu celeste hino”, nele cantamos: “Tenho em mim um hino ao Criador”; Se um hino já faz transbordar nossa alma, o quanto ela se exultará com mil?

Além de “01 – Cristo meu mestre”, eis os hinos que constam no hinário CCB de autoria de Mrs. C. H. Morris:

012 – Cristo nos dará da Sua plenitude    [307 – Hinário 5]

029 – Bem-aventurados vós…      [309 – Galardão nos espera]

086 – Na mansão do meu Senhor.

116 – Um tesouro glorioso achei.    [54 – ]

159 – A Rocha celestial     [5 – ]

161 – Só o sangue de Jesus.  [405 – Só por Cristo temos salvação]

166 – Avante, vamos a Sião.  [233 – Avante Santos e fiéis de Deus]

175 – Remiu-nos por graça.  [257 – ]

181 – Vou à eternal Sião.    [344 – Vou encontrar com Deus]

229 – Mui breve virá, mui breve virá [381 – ]

267 – A ti Deus, eu consagrei-me.  [355 – ]

291 – Eis que a noite é passada. [239 – ]

349 – Por fé seguimos o Senhor  [337 – ]

353 – Teu Nome é sublime. [296 – Teu nome é soberano, ó Redentor]

377 – Vem, vem consolar-me.  [ 91 – ]

420 – Alegria sinto em servir Jesus. [436 – ]

438 – Vamos nos preparar. [ 459 – ]

Se um hino já faz transbordar nossa alma, o quanto ela se exultará com mil?

>>>

Fonte: (nos comentários)

Anúncios

Comentários em: "Você é organista na CCB? Então precisa conhecer esta história:" (33)

  1. bereiano disse:

    Fontes:
    http://www.preparingforeternity.org / hymn_stories / let_jesus_come.shtml
    http://www.morgan.lib.oh.us / Morgan_County_History_Stories.doc
    http://www.whwomenclergy.org / folhetos / satisfied.php

    O Livro Completo dos Hinos: histórias inspiradoras cerca de 600 hinos e louvor, por William J. Petersen, Ardythe Petersen, 2006, Tyndale House Publishers, Inc.

    Bibliografia: Nassau, Rolando de, Os Hinos de Pitrowsky – I, Rio de Janeiro, O Jornal Batista. Nº. 4 – ANO LXXXV, 27 de janeiro de 1985, p. 2.

    http://hinariocentral.net/autor/leila-naylor-morris/

    https://crentebatista.wordpress.com/2010/05/14/leila-naylor-morris/

    http://www.luteranos.com.br/conteudo.php?idConteudo=18202

    http://www.tocatas.com.br/compositores/leila-naylor-morris.html#.UhYvApLVDlQ

    http://www.appalachianhistory.net/2011/07/she-wrote-1500-hymns.html

    http://musicaeadoracao.com.br/33965/hinario-adventista-do-setimo-dia-392/

    http://hinosavulsosccb.blogspot.com.br/2010/03/leila-naylor-morris.html


    273 – Jesus me deu celeste hino
    (autor: Elton Menno Roth)

    1. Jesus me deu celeste hino
    Para engrandecer a Deus
    E, pelo Espírito Divino,
    Esse canto elevo aos céus.

    Coro:
    Tenho em mim um hino ao Criador
    Um canto de amor, de eterna gratidão;
    Tenho em mim um hino ao Redentor;
    Aos céus elevo o meu louvor.

    2. Jesus tornou-me venturoso,
    Minha vida trasnformou;
    Um hino santo, glorioso,
    Em minha alma colocou.

    3. Um novo hino lá na glória
    Com os anjos cantarei,
    Será um hino de vitória
    A Jesus o grande Rei

  2. Bela historia, parabéns.

  3. Márcio J. S. Ermida disse:

    Excelente! Parabéns, irmão.

    Só esse post deveria ser suficiente para derrubar o exclusivismo enraizado, vou pedir licença para compartilhar no face.

    Deus abençoe.

    • Cristão Ortodoxo disse:

      Excelente história de vida irmão Márcio, mas não suficiente para derrubar o suposto exclusivismo enraizado. Pois o movimento ‘holiness” tendia para o fundamentalismo cristão, e a CCB está repleta de legados oriundos deste movimento de “santidade”. Pregam a consubstanciação da Fé com as obras, e a abstinência dos pecados intencionais. Na verdade procuravam de certo modo aproximar suas práticas com o cristianismo primitivo na sua essência; cristianismo este que a teologia moderna denomina de “exclusivista”, “Fanático”, “Movimento contraditório” etc….

      Deus vos abençoe.

      • Márcio J. S. Ermida disse:

        Irmão, entendo que o movimento holliness tenha pregado um cristianismo autêntico. Mas “consubstanciação” da fé com as obras? Onde o irmão viu isso? Etimologicamente entendo que está afirmando que eles pregavam salvação por obras? É isso?

        Bom, mas o exclusivismo CRISTÃO que eles pregavam eu também prego e defendo, irmão. Inclusive ainda estou lendo e recomendo a leitura de um livro chamado “Os Fundamentos para o Século XXI”, org. Mal Kouch. Uma espécie de continuação de outro livro chamado apenas “Fundamentos”, o qual gerou a “pecha” de fundamentalistas para os cristãos. Os cristãos são fundamentalistas por natureza, ou melhor, por conversão, ação do ES. Isso é completamente diferente da tacanha mentalidade da minha denominação (CCB) de se dizer a única igreja que entrará no Céu, e de que todas as outras são seitas, etc, etc, etc.

        Defender sua fé contra o paganismo, secularismo, falsas doutrinas, ecumenismo é uma coisa que deveria ser estimulada por todo pastor ou cooperador ou líder cristão. Agora, defender placa de igreja, doutrina secundária salvífica e exclusivista, aí já é outra coisa. Um não tem nada a ver com o outro.

        Quando me refiro aos erros da minha denominação, e posso fazer isso, como os bereianos elogiados por Paulo, faço baseado nas Escrituras e na obviedade do erro denominacionalista. Irmão, já passou da hora desse exclusivismo ser jogado na lata de lixo, junto com a ausência de estudo bíblico!

        Quantas vezes o irmão entrou no site da Missão Portas Abertas e ajudou nossos irmãos e pastores de outras denominações que estão sendo presos, torturados e mortos? Ou o “fundamentalismo” ccbiano impede isso? Se não fosse esse comportamento anticristão, teríamos mais 3 milhões de irmãos (ccbianos) se mobilizando por quem precisa, ao invés de ficarem se justificando porque fulano paga dízimo, ou beltrano é assalariado, ou usa bermuda, ou não usa véu.

        Deus abençoe.

        PS: Dê uma olhadinha lá, é no site http://www.portasabertas.org.br

        • Minhas desculpas a quem parece ser bajulação, confete, rasgação de seda, mas vou arriscar algumas palavras aqui com toda honestidade d’ alma.
          Márcio, admiro demais essa sua lucidez.
          Escrita sempre necessária e agradável, que nos enche a vista e o coração.
          E simplesmente por ser Verdade!
          E eu confesso que gostaria muito de poder expressar-me assim, pois nossos pensamentos se coadunam.
          Obrigada pelas suas palavras. Sinceramente.
          R.

        • Cristão Ortodoxo disse:

          Amado irmão Márcio é bom dar uma pesquisada em uma literatura moderna, mas lembre-se que para vc compreender o presente tem que ter um pouco de conhecimento do passado; Aqui fica uma nobre sugestão dê uma lida na literatura patrística do séc I ao III, e verá que a história sempre repeti. Suas críticas são discursos repetitivos feitos há centenas de anos por homens que se diziam defensores da palavra de Deus. Mas na verdade contaminaram muitas comunidades cristãs com suas dissoluções, aplicando conceitos humanos no seio da igreja. Pregavam uma fé desprovida de prática, que infelizmente sobrou resquiços desta ideologia maligna para o nosso presente; corrompendo a mente dos fracos na fé. E esta postura defensiva adotada pelo irmão, está fadada ao fracasso pois seus discursos são sempre desviados do foco. Se quer criticar por criticar, então critique. Mas se que discutir ideologias cristãs(genuínas ou reformadas) então fundamente-se, para que tenhamos uma comunicação rica e saudável.

          Deus abençoe.

          • Márcio J. S. Ermida disse:

            Bom…

            Se criticar a postura exclusivista e sem embasamento da CCB é discurso repetitivo… Como definir então a prática de ficar repetindo doutrinas extra-bíblicas tempo após tempo, só porque são faladas no púlpito?

            Que adianta se dizer um povo zeloso e de boas obras, se a obra do amor acaba quando se refere a considerar nossos irmãos aqueles que servem a Deus em outras denominações, sem que precisem se rebatizar na CCB? Onde está a humildade nisso?

            O que vale mais: a literatura patrística ou a Bíblia, retirada dos nossos hinos e substituída pela “palavra”, além de “conter” a Palavra de Deus?

            Prefiro ficar com qualquer literatura que defenda a Bíblia como SENDO a Palavra de Deus, a Graça como nosso Senhor Jesus Cristo (não a CCB ou qualquer outra denominação) e que não fale sobre exclusivismo denominacional, mas sim exclusivismo CRISTÃO.

            Deus abençoe.

          • Cristão Ortodoxo disse:

            Irmão Márcio suas conclusões ainda estão muito vaga. Seja um pouco mais específico. Especifique melhor o assunto; se é sobre doutrinas extrabíblicas, rebatismo ou a Biblia etc… Ah!!! E tem mais os escritos dos primeiros cristãos séc I ao III, examinados em conjunto com as Escrituras Sagradas te ajudará a esclarecer boa parte destes assuntos abordados acima. Tive está experiência e me fortaleci ainda mais na Fé em Cristo Jesus.

  4. Magdalena disse:

    Que maravilha ir. Bereiano ; esses hinos, por incrível estão na lista dos meus Preferidos !!!!!! História muita linda mesmo!!!!!!

  5. Republicou isso em CCB Mensagens – O bloge comentado:
    Tenho em mim um hino ao Criador, um canto de amor, de eterna gratidão!

  6. Maria jose rodrigues oliveira disse:

    Muito linda essa historia.

  7. Excelente texto. Reblogamos o mesmo.
    Deus o abençoe!

  8. Sandra Penna Freire disse:

    Amados irmãos, que a paz de Deus e do Nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos. Peço desculpas por entrar numa conversa para a qual não fui convidada, mas estes assuntos me interessam, pois uma coisa vos digo, por experiência própria: um dia, em minha casa, sozinha, lendo e meditando na Palavra de Deus, eu lia Atos 10 e aquele assunto deixou-me muito pensativa, e passando para o Livro de João, no cap.10:16, li que o Senhor disse “… Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco…” e eu perguntei ao Senhor o que queria aquilo dizer, e ouvi uma voz dentro de mim que me respondeu: as outras igrejas. A partir daquele momento, eu pude compreender melhor o plano de salvação que o nosso Deus preparou para nós, humanidade, nos enviando o Pastor verdadeiro, o Senhor Jesus, que dando a sua vida por todos nós, como o cordeiro Santo e Imaculado, a todos salva, estejam onde estiverem, sem fazer acepção de pessoas, veja Atos 10, versículos 34 em diante. Deste modo, também entendi que não mais deveria criticar nenhuma religião e nem denominações, apenas deveria me preocupar com a pregação da verdade, que é Jesus Cristo. No mais, quanto à leitura de literaturas evangélicas, elas não deixam de ser interessantes, desde que não sejam tendenciosas, pois a Bíblia é a base de todas as teorias fundamentalistas, teológicas, carismáticas, e por que não dizer, até dos que se dizem “espíritas”. Já ouvi também na pregação da Palavra no púlpito, o servo dizer que devemos respeitar todos, e acho este conselho muito prudente, pois as religiões já existiam mesmo antes da vinda do Senhor Jesus, e foram as diferentes opiniões e pontos de vista, que colaboraram para a Sua crucificação, pela qual, na Sua sabedoria, Deus, transformou um mal em um bem, de valor inestimável, para que se cumprissem as escrituras, sobre o Renovo que Ele enviaria, primeiro para os judeus e depois, também, para nós os gentios que fomos agraciados. Louvo a Deus, pela liberdade que temos de poder expor os nossos diferentes pontos de vista, mas rogo a Deus, que não permita que esta troca de conhecimentos e opiniões não sirva como instrumento do maligno, para fomentar a discórdia, a desunião entre todos nós, as perseguições que fazem a nós cristãos, que fazemos parte do corpo de Jesus Cristo, dividido em diferentes membros. Mais uma vez, peço o vosso perdão por ter entrado na conversa, mas gostaria mesmo de ser vossa amiga e irmã e Cristo e também poder partilhar de diálogos como estes. Deus vos abençoe.

  9. Concordo plenamente a salvação é dos humildes através da humildade podemos alcançar o Céu q é o objetivo de muitos mesmo sendo falho e errantes pois perfeito somente ele Senhor Jesus.

  10. Márcio José Sérgio Ermida (Colecionador de Bíblias de Estudo CCB) disse:

    Pedro andou com Jesus Cristo e vacilou na tempestade quase se afogando, tentou matar os soldados que O prenderam, negou o Senhor três vezes, e ainda tentou judaizar o insipiente cristianismo, levando um sermão do Paulo. Por que eu acharia que a literatura patrística está certa, em se tratando de servos que surgiram depois da ascenção? Os pais da igreja também podem ter errado, já que quem andou com o Senhor e se tornou um pescador de homens também errou.

    Meu foco é Jesus Cristo, muito acima e distante de querer defender placa de igreja, ou de igrejas parecidas com a minha. Mesmo que a igreja a que me refiro tenha tanta certeza de ser a única “que conserva a doutrina apostólica”, que se dê ao requinte de criticar por criticar as outras denominações evangélicas, o que chega a ser um discurso repetitivo, já que é o mais falado nos púlpitos e fora deles. Aliás, as outras denominações evangélicas só começaram a criticar de verdade a CCB depois de terem sido extremamente criticadas pela CCB, o que é um dado triste. Só falta virem dizer que a CCB não critica as outras denominações…

    Se formos procurar, com uma gigantesca lupa teológica, a igreja que mais segue as doutrinas apostólicas, acharemos a… IGREJA NENHUMA! Essa história de Novo Testamento, doutrinas apostólicas e tal, não se aplica quando Jesus lavou os pés dos discípulos. É uma forma singela de se assumir um cristão que ama seus irmãos. No entanto, ninguém se preocupa em imitar o Senhor nesse ato simbólico! A CCB mesmo não pratica o lava-pés. Então, quando alguém fala em seguir doutrinas e ritos apostólicos, fico com um pé atrás. Me cheira mais a defesa do exclusivismo.

    Sempre assim: quando os outros estão errados, podem estar dentro da Palavra, que não adianta, estão errados e ponto! Quando nós estamos certos, não interessa se estamos fora da Palavra, mas damos um jeito de mostrar os erros dos outros e o nosso passa a ser acerto!

    Penso eu que os textos elucidativos e coerentes postados aqui neste blog sirvam para reflexão, acho que essa é uma das principais funções de um texto. Reflexão de que não existe uma igreja detentora da sã doutrina, essa já tem Dono; de que o ES está no coração de todos os salvos em qualquer denominação; de que o conhecimento teológico faz bem à alma; de que a Bíblia deve sempre servir de cânon (vara de medir) para qualquer pregação dita vinda do céu ou do ES; e tantas outras reflexões que poderiam ajudar a melhorar a espiritualifdade dos membros de uma igreja.

    Mas parece que alguns levam para o outro lado. Não vejo ninguém causando discórdia ao esclarecer pontos obtusos ensinados via oral numa igreja sem tradição teológica definida. Satanás não está tomando homens letrados para semear a discórdia na CCB. Muito pelo contrário, o ES tem levantado blogs como esse para iluminar corações e mentes, mas mesmo assim alguns teimam em permanecer no que foi passado de 50 anos pra cá, e ainda defendem o erro com unhas e dentes. Eu que o diga, vejo isso diariamente na minha vida, e ainda tem gente dizendo que vou precisar ser reevangelizado.

    Mas tudo bem, prossigamos debatendo, sem nos batermos, hehehe, faz parte.

    Que Deus nos abençoe e nos guarde de nos tornarmos antibereianos, virando uma massa acéfala sem senso crítico espiritual. Porque tá difícil viver na vida secular, imagina agora termos que aceitar que a Bíblia é incompleta, que a graça é pertencer a uma igreja, e ainda sermos convidados a sair dessa igreja…

  11. ANDRE LUIZ disse:

    Concordo com as palavras da irmã Sandra, o falar das coisas do céu tem que ser com paz, amor, e acima de tudo com a presença do Espirito santo de Deus, pois onde há a paz ali esta o espirito de Deus, Deus que abençoe a todos que postaram suas opiniões neste blog, o acrescentar de conhecimento sobre as coisas de Deus é extremamente importante nos dias atuais, e tenho certeza que esse exclusivismo CCB ira cair e seremos muito mais unidos as demais denominações.
    Detalhe, falam que nós CCB somos exclusivistas, com razão boa parte é mesmo, porém hoje vemos que quando nos perguntam de que denominação somos e falamos que somos da CCB, nos olham com ar de julgamentos pesados, e ja nos falam a seguinte frase: A placa não salva ninguém…..isso nos ofende, pelo menos a mim, pois converso com a maior boa intenção, de conhecer e compartilhar do amor de Deus com esta pessoa, e até mesmo pedir suas orações a meu favor …..acho que deveriam ser superiores a isso e oferecer o amor puro e sincero do coração, que é por sinal o ponto X de se dizer servir a Deus: AME AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO.

    • Márcio José Sérgio Ermida (Colecionador de Bíblias de Estudo CCB) disse:

      Concordo com todos os irmãos aqui.

      Minha única preocupação é quando o discurso de piedade toma ares exclusivistas. Deus não precisa trazer ovelhas de outros apriscos-denominações para a CCB. Muito menos pode-se confundir, como vejo com frequencia, amor e união com o próximo apenas da CCB.

      Doutrinas extra-bíblicas – salvação pelo uso de véu; salvação pelo costume do ósculo santo; salvação pelas boas obras de andar de calça comprida e camisa de manga, mesmo que faça 40 graus; salvação pela sã “doutrina” encontrada apenas na CCB; morte em até tres dias após a unção pelo Ancião caso Deus não faça a obra de cura; confundir as obras apresentadas em Tg. 2 com obras salvíficas, e rasgar Ef. 2, além de trechos de Rm. e Hb.;

      Rebatismo – Heresia extra-bíblica praticada na CCB, que não considera válido o batismo de outras denominações, mesmo que seja por imersão;isso é fruto do exclusivismo ánti-bíblico nunca pregado por Jesus Cristo.

      Bíblia – Nossa única regra de fé, ou seja, de quem se considera cristão. Porém relegada a segundo plano na CCB, onde ainda muitos só consideram-na válida se for exortada após leitura na igreja, na boca do pregador (Ancião ou Cooperador, ou Diácono), por revelação do ES. Estudá-la e analisá-la

  12. Márcio José Sérgio Ermida (Colecionador de Bíblias de Estudo CCB) disse:

    Quero pedir perdão por ter deixado meu comentário incompleto, tive que sair correndo.

  13. Evangelista Cristão

    VÉU NÃO É COSTUME,MAS, DOUTRINA – 1 Cor. 11.Vs.1 ao16

    Ao ordenar “que ponha o véu”, o verbo“ pôr” está na 3ª pessoa, no modo imperativo do presente. Isso mostra e indica que “antes” de estar no culto, no ajuntamento santo, a mulher se encontrava sem o véu, o cabelo, como diz o texto, estava ocupando o lugar, para isso foi dado em lugar, mas quando ora ou profetiza, “que ponha” o véu, já não é o cabelo. A Escritura não diria ” que ponha” se elas viessem de fora com o “véu” (mantilha), mas que “ permaneça ou continue” ! “Katakaluptesthô,” cujo verbo é “katakaluptô”, está no modo imperativo, aqui, ”o modo imperativo expressa uma ordem ou mandado. O tempo verbal grego koinê PRESENTE, indica que o verbo no caso acima, não está ligado, preso ao passado, mas “que está acontecendo, estado incompleto, em andamento” ( onde ? )
    Nos países onde a mulher é proibida em sair de casa tendo a cabeça descoberta, não há problema algum em obedecer, uma vez que a palavra de Deus está regulando um problema interno, o modo do homem e da mulher se apresentar na reunião de adoração. 11.10 – “Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos.”
    V. 10 – O uso do véu também tem uma “causa”, essa causa são os “anjos”; “deve”(gr. opheilei) vem de “dever”, obrigação resultante dos preceitos ou mandamentos da honra, os anjos são celestiais. Há os que afirmam que o uso do véu era por “causa” das prostitutas existentes em Corinto; tal interpretação é uma aberração aos anjos. A Bíblia por si mesma se explica”! E, a bíblia se explicando, diz que é por “causa”dos anjos,não“costume”. Confundir “anjos” com “prostitutas,” o que é uma “o-fen-sa” à palavra de Deus e aos anjos !!!
    Vs. 14-15 – É ensino apostólico o homem não usar “cabelo comprido” (gr. komaô) por ser “desonroso”, por outro lado para a mulher o usar “cabelo comprido” ( gr. komaô) lhe é uma “glória” ou “honra”(gr. doxa = honra , glória). Por isso mesmo o cabelo lhe foi dado em lugar de véu. Ora, sendo o homem a “glória de Deus”, e a mulher “glória” do homem, porventura a mulher ficará sem “glória” ? É óbvio que não. Pois, o texto afirma que o cabelo comprido lhe é uma “glória”. Por essa razão mesmo, de ser para ela uma glória, no culto ela tem de “cobri-la,” e quando se cobre, estará cobrindo a “glória do homem” juntamente com sua própria glória; O Cabelo (gr. komê) lhe foi dado em lugar de véu, quando a sua cabeça se encontrar descoberta, não na reunião de culto e adoração a Deus. O Senhor, em sua sabedoria, não deixou um tamanho padrão para o comprimento do cabelo, pois, o crescimento do cabelo pode variar de mulher para mulher.

    • Márcio J. S. Ermida disse:

      Mais uma vez o véu.

      Assunto recorrente e batido. Mas por que batido? Pelo simples fato de que em nenhum momento Paulo afirma o uso do véu ser uma condição para salvação da alma. Ou seja, é um assunto local e temporal, que os exclusivistas teimam em continuar afirmando o contrário, pois os teólogos “carnudos” não sabem do que falam, afinal estão sem o ES.

      Uma vez me disseram que Paulo não falou do véu fora de Corinto porque nas outras igrejas as irmãs usavam corretamente, não precisando de repreensão. Faça-me o favor! Paulo ordenou o uso do véu em Corinto por um fator local, mas não ordenou nas outras igrejas, porque não era uma doutrina FUNDAMENTAL ou SALVÍFICA. E na Bíblia não se faz sequer menção se as outras igrejas tinham esse mandamento. Quando uma doutrina é salvífica, a Bíblia a cita mais de uma vez. Quando não, cita-se apenas no local de necessidade.

      Anjos também pode estar se referindo aos presbíteros de Corinto, até hoje vejo irmãos contando obras de que Deus enviou anjos na casa de alguém, referindo-se a irmãos, logo, seres humanos. Além do mais, tanto é uma doutrina local e temporal, que basta lembrar que toda honra e glória e poder e majestade deve-se apenas a Deus, os quais Ele não divide com ninguém, o último anjo que tentou usurpar a glória de Deus… deu no que deu. Quem morreu na cruz não foi um anjo, logo é Ele quem merece honra e poder.

      Acho bonito usar véu, e as irmãs de cabelão. O que não acho bonito, muito pelo contrário, é usar esses argumentos para ratificar (palavra da moda, rsrs) o exclusivismo da nossa denominação, não tem cabimento nenhum isso. Somos todos UM em Cristo, enquanto não entenderem isso fica difícil aceitar argumentos justificando essa ou aquela doutrina.

      Além do mais, o que iremos dizer para as irmãs africanas e afro-descendentes? Podem cortar o cabelo para poderem usar o véu? Como saberemos que possuem honra fora da igreja se usam cabelo curto? E, se não cortarem, os irmãos vão aceitar um baita “black power” no culto? Vai ter véu tamanho especial para “black power”? Ou elas poderão não usar véu? E agora, que na Bíblia Paulo não dirigiu palavra sobre isso para as africanas????

      Dão muito valor para o que não tem tanto assim, e deixam passar o que realmente importa.

      Deus abençoe.

      Irmão Márcio – CCB m B por enquanto, e a favor do uso de véu na CCB, e o não uso de véu nas nossas igrejas irmãs… a favor também de se considerar o assunto em relação às irmãs negras.

      • Irmão Márcio,

        Tem gente que literalmente costura o véu que Cristo rasgou.

        Mas sejamos como Paulo. Não nos cansemos de dizer sempre as mesmas coisas…

        Abraços amado irmão

  14. Evangelista Cristão

    O uso do véu é Doutrina………

    I Cor. 11v.10 – O uso do véu também tem uma “causa”, essa causa são os “anjos”; “deve”(gr. opheilei) vem de “dever”, obrigação resultante dos preceitos ou mandamentos da honra, os anjos são celestiais.
    Há os que afirmam que o uso do véu era por “causa” das prostitutas existentes em Corinto; tal interpretação é uma aberração aos anjos.
    A Bíblia por si mesma se explica”! E, a bíblia se explicando, diz que é por “causa”dos anjos,não“costume”. Confundir “anjos” com “prostitutas,” o que é uma “o-fen-sa” à palavra de Deus e aos anjos !!!

    O homem é a “glória de Deus”, e a mulher a “glória” do homem. O texto afirma que o cabelo comprido lhe é uma “glória”. Por essa razão mesmo, de ser para ela uma glória, no culto ela tem de “cobri-la,” e quando se cobre, estará cobrindo a “glória do homem” juntamente com sua própria glória;

    Baseado nisso em todo lugar que a mulher orar ou cultuar, DEVE colocar o véu.

    Sobre nossa santas irmãs da pele negra terem cabelos crespos em momento algum eu vi uma delas ter dificuldade em usar o véu.

    Temos irmãs da pele negra que foram grandes evangelistas a nível mundial e, cheguei ter o honra de viajar com elas e, nunca as ví comentando que havia dificuldades no uso do véu. Esta preocupação é estritamente errônea e sem fundamento de FATO.

    O que estou postando são FATOS e contra fatos não existem argumentos !!!

    Evangelista Cristão

    • Márcio J. S. Ermida disse:

      Eleotério,

      Não estou sendo jocoso, em nenhum momento brinquei, o que falo é muito sério. Não conheço nenhuma irmã negra que respeite a natureza do seu cabelo, dado por Deus. Todas elas alisam ou cortam para não ficar “black power”. O cabelo grande das irmãs brancas ou mestiças seria o equivalente ao “black power” nas irmãs negras.

      Ou você está tapando o sol com a peneira ou pensa que não falo sério, por isso pode dar respostas evasivas. Que FATOS são esses que você tanto gosta de citar. O fato de as irmãs negras não reclamarem? Claro! Depois de se sentirem convertidas e acomodadas na igreja que é a ÚNICA que tem a sã doutrina, é óbvio que para elas, alisar o cabelo não é nada demais.

      Mostre-me uma, só uma, irmã negra que nunca cortou o cabelo e nem nunca alisou para adaptar o véu na cabeça. Isso, sim, seria um fato. O que você falou para mim não passa de factoide, mais uma vez querendo confirmar o exclusivismo denominacional por causa de uma doutrina que a BÍBLIA NÃO DECLARA COMO SALVÍFICA, POIS SÓ SE TORNA ASSIM NA CCB.

      Deus abençoe.

      Irmão Márcio – CCB m B por enquanto, e também a favor de fatos, porém embasados na Bíblia.

  15. Vocês trabalham? Tem tempo demais pra debater na internet sobre assuntos que sequer deveriam ser falados…..

    • Márcio José Sérgio Ermida (Colecionador de Bíblias de Estudo CCB) disse:

      Huummm…

      Será que o irmão trabalha? Ou que nós não trabalhamos? hehehe

      Não que isso seja importante, mas falo do meu almoço, ou da minha casa. E tenho certeza de que os demais irmãos também trabalham.

      Quanto ao que deve ou não deve ser falado, basta ler de novo o nome do blog, e ver que qualquer assunto espiritual, desde que não atinja a privacidade de ninguém, pode e deve ser falado aqui, pois o que queremos é crescer em conhecimento do Senhor.

      Deus abençoe.

      PS: Bom almoço!

      Márcio – CCB m B, pode ser B de Bereiano também

    • Vira e mexe a gente encontra gente com comentários pejorativos assim.
      Cada um tem o hobby de fazer o que quiser.

      Se eu quiser escrever, eu escrevo. Se vc quer contar fofoca pra vizinha, vai lá contar fofoca.

      Cada um faz da vida o que quiser.
      Ahhh, vá catar coquinho na ladeira, vai!!

    • Myo e vc?! Trabalha?!

      Porque se teve tempo para ler sobre ‘o que não se deve ser falado’ convenhamos que você tem exatamente o mesmo tempo disponível de quem escreveu.

      Ah! E saiba: o que é tabu pra você, pode não ser, necessariamente, para outros. Este blog é um exemplo muito claro disso.

      Há uma expressão popular que diz: macaco não olha o próprio rabo.
      Isso significa que, por não desenvolver uma auto-crítica, vive a observar nos outros, defeitos que ele mesmo tem.

      Nada contra os macacos 😉

  16. Evangelista Cristão

    Nunca vi uma irmã reclamar por ter que colocar véu.

    Seja ela com pele branca,negra ou amarela.

    Creio que aquelas que não aceitam os ensinamento e a maneira de estar numa liturgia dentro de um templo da CCB é razoável que siga para uma boa denominação que as irmãs não usam véu.

    No Brasil existem mais de 600 denominações e ninguém torna-se obrigado(a) a permanecer na CCB se seus rituais lhe incomodam ou até interpreta estar fora da biblia.

    Eu já aprofundei-me em 45 denominações e optei pela CCB. O dia que Deus me mostrar uma denominação que o que professam de doutrina for mais perfeito do que a CCB, eu seguirei para lá.

    Jamais permanecerei na CCB percebendo ser uma doutrina errada ou ficarei na NET difamando a CCB e seus ministros.

    Sou Brasileiro e a constituição me dá liberdade de mudar de Igreja a hora que eu desejar.

    A não ser que eu seja RETARDADO, fraco mental, para frequentar uma Igreja e ser contra o que ela divulga.

    Sendo assim aconselho os descontentes com a CCB a seguirem para outra denominação e, que Deus os abençoem e sejam felizes !!!

    Evangelista Cristão – SIMPLIFICANDO……………..

    • Márcio J. S. Ermida disse:

      Opa! Pegou pesado agora, hein irmão Eleotério!

      Quer dizer que para permanecer na CCB, eu tenho que concordar com tudo que vejo errado? E que se não quiser sair dela, eu sou retardado e fraco mental? E afirmar isso, ainda é SIMPLIFICAAAARRRRR?????????

      Tô fora (desse debate, não da CCB).

      Deus abençoe, meu amado.

      Márcio – CCB m B, e não saio… a não ser que Quem me colocou nela, mande

      PS: O irmão xingou, mas não respondeu sobre o uso de véu ou alisamento de cabelo ou corte de cabelo das irmãs negras. Mas tudo bem, o meu amor por você continua sendo o mesmo (SEM IRONIA!)

  17. Miss Jane disse:

    Myo, é fato: trabalham, de quando em vez… Agora falar, falam sempre… he he he

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: