É ler para crer!

Tv e família

Verso áureo: Não meterás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás e de todo a abominarás, porque anátema é” (Dt 7:26).

A Congregação Cristã no Brasil sempre teve aversão aos meios de comunicação, em especial, a televisão e o rádio. Hoje dispomos e, naturalmente, fazemos uso de uma imensa parafernália tecnológica, inclusive cobramos um site oficial; mas houve dias que ficávamos apavorados ao ler ou ouvir o versículo do cabeçalho, outrora tantas vezes citado, agora no esquecimento engavetado.

Antigamente os crentes agiam como o salmista: “não porei coisa má diante dos meus olhos” (Sl 101:3), atualmente o televisor é comum na grande maioria dos lares cristãos. Naqueles tempos, enquanto o governo censurava a programação, o ministério censurava a aquisição. Houve rigor demais, ou está havendo temor de menos? O crente está cada vez se santificando ou secularizando? Afinal que mal há em ver televisão?

A VISÃO

Instrumento da mídia. A televisão é o veículo que atinge maior número de pessoas, por isso mesmo o de maior mídia. Definirei mídia não como um meio, mas por seus fins; aqui será abordada como o elemento influenciador dos conceitos e vontades humanas, que procura estabelecer as regras de comportamento, pensamento e de consumo das populações, bem como os valores éticos e morais da sociedade.

Enquanto a mídia é a regra de conduta da sociedade,
A Palavra de Deus é a regra de conduta da igreja.

Inversão de valores. A TV (mídia) modifica a visão das coisas. Principalmente nas novelas, aquilo que é certo, como o amor conjugal verdadeiro e a pureza, são vistos como algo ultrapassado. Casais, famílias, lares felizes e abençoados jamais aparecem no vídeo, também o materialismo é apresentado como algo muito nobre e elevado. A palavra de Deus adverte: “Ai dos que ao mal chamam bem…” (Is 5.20,21).

Incentivo à promiscuidade. A TV estimula o pecado. Na programação em geral é comum cenas de insinuação sexual, ensinando e estimulando a fornicação, o adultério e o homossexualismo. Dia desses vi artistas famosos falando, sem recato, da prostituição cinematográfica num programa vespertino com classificação livre. O crente aderiu e adquiriu TV; reflexo ou coincidência, vemos o pecado destruindo muitos lares cristãos; lembremos da carta vinculada aos tópicos de ensinamento desse ano (2009).

A TV estimula a violência. Querendo livrar nossos filhos da violência das ruas, acabamos por expô-los à violência televisiva. No Brasil, ao completar 14 anos, uma criança já terá assistido 11.000 crimes na TV. Em 200 horas de programação, são vistas 30 mortes cruéis; 1018 lutas monstruosas e animalescas; 3.592 acidentes; 32 roubos; 616 cenas de uso criminoso de armas; 57 seqüestros; 410 trapaças; 86 chantagens e 321 aparições de monstros pavorosos e infernais. (Lições Bíblicas CPAD 2º trimestre de 2007)

Escola do mal. Sim a programação televisiva transformou-se numa escola de violência e pecado, e, nós pais, devemos controlar e supervisionar o que os filhos vêem na televisão. Bem verdade que podemos utilizar a mídia para o bem, mas quem negará quão perniciosa é a programação atual. Ou a família controla a TV, ou a TV controla a família.

Secularismo. O resultado produzido pela mídia é a cultura popular ou o secularismo. Para a cultura secular a idéia de bem e do mal é variável conforme o tempo; prega que o ser humano deve se moldar aos tempos modernos, rejeitando os valores absolutos e eternos da Bíblia, aceitando como diretriz apenas os fatos e influências da vida presente, ou seja, devemos seguir as tendências, ou “dançar conforme a música”. Desse modo, a secularização faz com que percamos a sensibilidade espiritual e os valores cristãos, esvaziando-nos daquilo que é santo. Somos exortados: “Enchei-vos do Espírito” (Ef 5:18). A secularização é o contrário da santificação sem a qual ninguém verá a Deus (Hb 12:14).

Memorize: A secularização é o processo oposto à santificação.

Mídia x igreja. Enquanto a mídia está voltada para o presente, o agora; a igreja está voltada para a eternidade. Enquanto a mídia trabalha em função da emoção; a igreja trabalha em função da fé. Enquanto a mídia funciona conforme a lógica econômica; a igreja ignora a lógica econômica. Enquanto a mídia constrói-se na transitoriedade; a igreja na perenidade. Enquanto a mídia preocupa-se com a aparência do indivíduo; a igreja preocupa-se com a essência do indivíduo. Enquanto a mídia forma consumidores; a igreja forma cidadãos dos céus.

Recordando: O uso da televisão pode ocasionar vários problemas à igreja e à família; estimular a violência, o pecado e modificar os padrões de certo e errado.

A REVISÃO

Em preto e branco. A televisão já figurou como ícone do avanço tecnológico, da vida moderna e da prosperidade material. Hoje na era da TV digital, o grande o acervo de inovações tecnológicas, minimizou a importância deste aparelho. Por quê falarmos então sobre a televisão?

Símbolo de separação do mundo. Esta simboliza, para mim, e faz recordar uma época em que o crente vivia em nostalgia contemplando a pátria celestial e não se importava em ser diferente ou separado do mundo. Hoje não buscamos a separação; sim a associação, porém ser cristão é se identificar com Cristo e não com o mundo. Vemos cada vez mais os que servem a Deus parecidos com os que não servem. Em muitos casos já não é possível o reconhecimento visual.

“Porque persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gl 10:1).

Quem influência quem? Não é a televisão em si que é ruim, nossa passividade diante dela que é. A igreja como sal da terra e luz do mundo deveria influenciar o mundo, mas acaba sendo influenciada por ele. A mídia visual é persuasiva e o crente acabou cedente ao seu poder de sugestão, seguindo as tendências e abraçando os modismos, quando deveria servir de guia na escuridão, foi por isso que orou Jesus: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (Jo 17:15). Com a guia de Deus, viveremos no mundo, mas afastados do mal.

“Qualquer que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus”(Tg 4:4b).

Tá tudo dominado. Se fizermos uma análise consciente do que realmente vale a pena assistirmos na televisão ficaremos chocados com o resultado, pouca coisa restará. Se não precisamos tanto assim, porque nos tornamos tão dependentes? Já é uma condição imposta pela mídia do consumismo: “Ter pra ser”. A sociedade lhe receberá de braços abertos se consumir o que todos consumem, se pensar o que todos pensam, e agir como todos agem; porém achará estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós” (1Pe 4:4).

Não me deixarei dominar.“Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma” (1Co 6:12b). Como?

a)Buscando a edificação. “Nem todas as coisas edificam” (1Co 10:23b). O crente não precisa recorrer a padrões humanos para definir seu estilo de vida, ou posicionar-se quanto ao que aprova ou desaprova. Deve sempre procurar fazer aquilo que traga alguma edificação. Assim, se for sua opção de culto particular não ter televisão, não se espelhe neste ou naquele, mas faça segundo sua consciência (Js 24:15).

b)Discernindo. “Examinai tudo. Retende o bem” (1Ts 5.21). Por este versículo, somos convocados a discernir a cultura do nosso tempo, classificar e censurar o que vemos na televisão, e reter somente aquilo que é bom, edificante e útil. A capacidade de discernimento é conferida a todos que são espirituais (1Co 2:15).

c)Ocupando a mente. Já diziam os nossos avós: Quando a mente não está ocupada, só pensamos em coisa errada. Quando a cabeça está vazia, acabamos enchendo-a com porcaria. Com o que você tem se ocupado? Têm você se dedicado em algum projeto pessoal? O apóstolo Paulo dá-nos uma sábia orientação quanto ao que devemos acolher em nossa mente e coração:

“Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai(Fl 4:8).

d)Aproveitando o tempo. As pessoas vêem televisão não somente quando estão ociosas, mas por hábito (ou vício), muitas vezes deixam tarefas por fazer para terem mais tempo ‘a perder’ com a TV (videogame, Internet). Por quê não dedicarmos mais do nosso tempo com atividades mais saudáveis? Como, por exemplo, ler, passear, praticar esportes, aprender música, artes ou profissão, ser voluntário em alguma coisa. Você já pescou ou montou cavalos? Já tomou banho de cachoeira ou fez piquenique com a família? Sabe cozinhar ou costurar? Ou a mídia lhe ensinou que isto não tem graça?

Recordando:

A televisão já não reina absoluta. Todo este aparato tecnológico pode ser benção ou maldição. É dever do crente examinar tudo com sabedoria e aproveitar o que é bom.

A CORREÇÃO

O conceito sobre a televisão. Todavia foi com outra visão que o crente se afastou do televisor no passado. Não foi por consciência, mas por ignorância. Não foi por opção, mas por imposição. Tudo o que se falou, todo este pavor e proibição vieram de um erro de hermenêutica (pra variar).

É trágico, vou tornar cômico. Se, faltou interpretação, sobrou imaginação:

As ondas de transmissão difundiam a programação,
Para nós era a geração da imagem da besta de profanação.
As antenas de captação eram os chifres da aberração,
Assistir televisão era, ao diabo, fazer adoração.

Enquanto o governo censurava a programação,
O ministério censurava a aquisição,
Fizeram tópicos de ensinamentos para a proibição,
E quantas vezes ouvimos a pregação:

Aquele que é temente e crente de coração,
Não ouve rádio nem assiste televisão.
Pois tal coisa é uma grande abominação.
Quem comprar esta maldição não será mais nosso irmão.

Acredite quem quiser, refute quem puder. É exatamente isto que você leu. Caso tenha esquecido, foi considerado, ensinado e pregado que o rádio era a besta que fala, sendo o televisor a segunda fera que deu imagem à primeira. No entanto Apocalipse 13:18 diz se tratar de uma pessoa – o Anti-Cristo, precedido pelo seu falso profeta.

O conceito desfeito. Somente em 1992, na 57ª Assembléia foi reconhecido o engano, porém faltou reconhecer a culpa que sempre recai sobre a irmandade.

* 15 – A IMAGEM DA BESTA QUE FALA NÃO É A TELEVISÃO

No livro de Apocalipse, capitulo 13, verso 15, está escrito que foi concedido à besta que subiu da terra, que desse espírito à ima­gem da besta que subiu do mar, para que ela falasse. Essa imagem não é a televisão, como alguns, por equivoco, pensaram.

Revogue-se. Embora não vemos na prática, na teoria a proibição continua valendo já que os ensinamentos deliberados pelo Conselho de Anciães não foram revogados. A última declaração foi na Assembléia de 1997.

16 – APARELHOS DE TELEVISÃO.

Quem tem ministério não deve possuir. Entretanto, temos que ter todo o cuidado nas pregações, a fim de não atacar aparelho de divulgação e cultura do Governo. Também não se deve atacar computadores, nem denominações religiosas.

Não se deve orar para nenhum ministério na Obra de Deus se a pessoa tiver televisão.

Correção: A televisão não é um ‘fim’ diabólico, mas um ‘meio’ a serviço do homem.

A REFLEXÃO

Ótica contextual e crítica. Considerando ser a televisão uma manifestação diabólica, o crente historicamente não fez uso de tal aparelho. Passaram os anos, o conceito mudou e acabamos aderindo ao uso e consumo que silenciosamente vem moldando nossos gostos e visão, provocando em nós uma secularização fazendo-nos ficar cada vez menos sensíveis com as coisas espirituais. Surge então um crente contemporizado que prefere estar integrado ao sistema, que separado do mundo. Julga ter pensamento próprio, mas segue sempre uma diretriz, somente alternando o elemento influenciador: Vezes, o postulado encíclico dos Anciães; vezes, a cultura popular da mídia, quando deveria testemunhar firmemente a este mundo secular que a Bíblia é sua única norma de fé e prática e árbitra da sua conduta.

Conclusão: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas conveem” (1Co 6:12a). Nossa liberdade cristã, pelo princípio da licitude, nos confere a escolha de termos ou não televisão. Nossa consciência cristã, pelo princípio da conveniência, nos constrange ao discernimento e seleção do que vamos assistir.

Reflexão. Como ocorreu com a televisão, atualmente, a igreja pode estar agarrada em costumes e ensinamentos que amanhã abandonará. Aquilo que é transitório, passageiro e regional não se constitui numa autêntica doutrina bíblica que é invariável, eterna e universal.

Adivinha: Não é bicho-papão, mas mete medo e fica escondida no guarda-roupa?
Resposta: A televisão de um crente novo-convertido.
!!! Essa piadinha costumava ter graça há algum tempo atrás.

Anúncios

Comentários em: "Visão, Revisão e Reflexão sobre a Televisão" (6)

  1. Devemos usar os meios de comunicação a favor da Igreja, quem não deve não teme, porque o medo! Os Lideres Religiosos devem ensinar o Povo a usufruir do Sistema, sabendo que a Porcentagem maior é Útil para Nossa Informação. Haja visto que; tem Programas que desvirtua os bons costumes, tudo o que vemos em uma televisão, contemplamos nas Ruas da Nossa Cidade Pior, o Importante é ensinar o Melhor para a Integridade da Igreja. Tudo é licito, mais nem tudo é conveniente para o povo de Deus. Paulino

  2. Cristão Ortodoxo disse:

    Queridos irmão, se buscarmos num passado distante (Séc I ao III), e aplicarmos o principio da analogia, teremos advertências convincente acerca do uso do televisor. Particularmente vejo coisas boas e ruins nas programações das principais redes televisivas. Mas no passado, os primeiros cristãos viam o teatro romano como um local impróprio para o crente. Argumentavam eles que as diversões romanas não coadunavam com os princípios cristãos, e o teatro era um lugar promíscuo. Veja:
    O pai que protege com cuidado e guarda os ouvidos de sua filha virgem depois a leva ao teatro ele mesmo. Ali a expõe a toda sua linguagem indecente e atitudes vis. Depois ele faz a pergunta: Como pode ser justo ver as coisas que são injusto fazer? E aquelas coisas que contaminam ao homem quando saem de sua boca, não lhe contaminarão quando entram por seus olhos e ouvidos? Tertuliano (197 d.C.)
    Portanto, devem suprimir-se os espetáculos e as audições por estar repletos de charlatanearia. Que ação torpe não se mostra nos teatros? Que desavergonhadas palavras não pronuncia os bufões? Os que desfrutam com os vícios daqueles, é evidente que, quando estão em suas casas, tratam de imitar tais representações, e, ao invés, quem não se deixam seduzir e são insensíveis a eles não poderão escorregar jamais para os fáceis prazeres. Clemente de Alexandria (195 d.C.)
    Muito menos pode turvar-nos a festa dos espetáculos, porque igualmente renunciamos estas festas, como sua origem supersticiosa e as ações com que se celebram. Que pode esperar nosso desejo do circo? Que têm que ouvir nossos ouvidos nas torpezas do teatro? Que têm que ver nossos olhos na atrocidade com que as feras despedaçam homens na areia? Que tem que aprender nosso atendimento na vaidade das ações do visto? Em que lhes ofendemos por presumir que há outros deleites mais gozosos do que seus jogos? Tertuliano (197 d.C.)
    A mim me parece que as influências depravadoras do teatro são até piores [do que as da areia]. Os temas das comédias são as violações das virgens e o amor das prostitutas… De maneira parecida, as tragédias levantam à vista [dos espectadores] o homicídio dos pais e atos incestuosos cometidos por reis ímpios… E será melhor a arte dos primores? Ensinam o Adultério quando fazem o papel dos adúlteros. Que estarão aprendendo nossos jovens quando vêem que ninguém tem vergonha de tais coisas, senão que todos as olham com gosto? Lactâncio (304-313 d.C.) ………………………….
    Comparando estes escritos com as escrituras sagradas, vemos que estes cristãos tinham embasamento bíblico para orientar a igreja dos perigos daquela época. Hoje, a diferença é que o teatro e as diversões profanas estão mais acessíveis. Mudou apenas a tecnologia, que trouxe os espetáculos para os nossos lares. Acredito que antes dos pais proibirem o uso do televisor, eles tem que proporcionar um outro lazer para seus filhos. Sendo assim preencherão o vazio que existe no dia-a-dia das crianças, até o dia que eles tiverem entendimento para compreender a vontade de Deus.
    Façam uma reflexão….
    Deus abençoe.

  3. Evangelista Cristão

    Sobre programas na TV sabemos que 95% são prejudiciais.

    Tanto para vida espiritual como nossa saúde.

    Poucos lares tem diálogo entre sí, por causa dos programas que os dominam.

    Numa reportagem de 1995 na Revista veja teve uma matéria falando das programações.

    No final da reportagem está escrito; Sem televisão sua casa será de novo um LAR !!

    Reflitam que a veja nada tem haver com religião. A afirmação foi baseada nas baixarias dos programas e a falta de diálogo entre as familias.

    Sendo assim eu fico no que Paulo disse; Tudo é lícito,mas, nem tudo convém.

    Ë lícito ter TV,mas, convém não deixar-se dominar e, ter tempo para interagir com a esposa(a), filho,sobrinho,neto e amigos…………..

    Segue parte da reportagem da veja ano 1.995 ou seja, 20 anos atrás (imaginem hoje).

    SEXUALIZAÇÃO PRECOCE – “Estamos gerando um problema que ninguém sabe onde vai estourar”, diz ele.

    “O sexo mostrado na televisivo como uma coisa compulsiva, indiscriminada, com a qual as pessoas podem suprir todas as carências.”

    O pediatra sustenta essa opinião a partir de experiências profissionais e familiares.

    Conta que, quando a Globo exibiu a novela Barriga de Aluguel, mostrando uma adolescente grávida, com o apoio de pais e amigos, o mesmo comportamento se repetiu na vida real – onde as consequências foram muito diferentes do que se via na ficção.

    “Notamos no instituto um aumento da gravidez entre meninas de baixa renda”, diz ele.

    “Só que a realidade é o oposto do que a televisão mostrava: essas meninas são marginalizadas e hoje tem problemas na escola.”

    Um dia, Ricardo Barros notou que sua filha mais nova, de 9 anos, ficava em estado de euforia quando chegava a hora de assistir a uma novela.

    “Ela dizia que não queria perder o capítulo para saber quem tinha transado com quem naquele dia”, conta. O pediatra está convencido de que a televisão modifica o comportamento da criança, podendo prejudicá-la.

    “A televisão joga imagens e as pessoas vão captando.

    Está havendo uma sexualização precoce”, afirma ele. “Meninas de 7 ou 8 anos já tem comportamento de adolescene, usam batom e salto alto, compram roupas erotizadas da Xuxa e da Angélica.

    Um menino de 11 anos já está pensando em beijar e agarrar uma menina. É impossível negar que a televisão tenha muito a ver com isso.

    ” Existe um dado que deve ser levado em conta quando se debate a influência da TV sobre o comportamento das pessoas.

    Ninguém discute que ela estimula o consumo de mercadorias e marcas – tanto que recebe verbas milionárias de publicidade.

    Também É certo que tem seu peso na hora de o cidadão escolher seu candidato numa eleição – tanto que o horário político, com toda a sua chatice, É disputado a faca pelos concorrentes.

    Fica difícil imaginar, nessa situação, que só em matéria de sexo a TV seja um aparelho neutro como um terno cinza.

    Evangelista Cristão postando realidade, FATOS…………….

    • Irmão Eleotério,

      Se a televisão é ruim, a internet consegue ser pior ainda. Os perigos mencionados pelo irmão com relação a televisão existem na internet, porém multiplicados por 10. A internet oferece muito mais perigo que a televisão. Aqui na minha região já causou vários casos de adultério e prostituição no meu da irmandade. Até ancião famosíssimo caiu por causa de conversinha na internet.

      Felizmente, a CCB evoluiu um pouco e não fez com a internet o que fazia com a televisão. A CCB demonizou a televisão e a qualquer custo tentou proibi-la no meio da irmandade, até com ameaças de morte e inferno (ainda hoje há quem pregue assim).

      Mas se não é lícito a televisão, muito menos é a internet. Usemos a internet só para trabalhar então. Nada de blogs, forums, redes sociais e etc.

  4. Evangelista Cristão

    Sobre a NET sabemos que não sabendo usar ela tráz prejuízos.

    A diferença da NET para TV é que a NET tem muita coisa ótima e, a Tv tem só aproxim. 5% de coisas boas.

    Isso quem fala não é somente os Cristãos,mas, a revista veja lança matérias constantemente mostrando o mal que a TV lança nos lares.

    A veja nada tem a ver com fanatismo,mas, usa do bom senso e da inteligência !!

    Sobre ter o aparelho de tv a maioria dos CCBs o tem………..

    Tudo é licito mas nem tudo convém. Ë licito ter o aparelho,mas, convém usá-lo com total domínio.

    A NET é ótima para termos informações de tudo, remédios, lugares, estradas, médicos, formulas, estatísticas, sinônimos, hospitais, jurisprudências,súmulas,etc,etc.

    A NET nada tem a ver com programações televisivas. Afirmar que NET e tv são iguais é assinar o atestado de tolo !!

    A NET tem seu lado DESTRUTIVO, perigosíssimo………….

    Com referência ao Face, entre outros meios de comunidades virtuais, cada um tem que ver o que lhe destrói.. Muitos usam e comunicam-se; Vó com netos, pai com filhos, famílias e trocam fotos,mensagens,etc.

    Tem aqueles(as) que são mentalmente fracos e, não devem usar as comunidades virtuais.

    Cada um deve analisar a sí próprio(a)…………….

    Evangelista Cristão postando com temperânça………………..

  5. Evangelista Cristão

    Vou falar um pouco da conclusão que cheguei a respeito do ministério da CCB:

    Meus primeiros parentes batizaram na CCB em 1.930. Conheço tudo sobre a CCB, tanto na parte interna do brás como no Paraná, Minas, e até na Itália, EUA, etc.

    Hoje estamos vivendo os últimos anos daqueles primitivos anciãos que estão com 77, 80, 85 e até 90 anos de idade.

    Eu respeito-os porque aprendi de berço a respeitar os mais velhos e, guardo na memória o tanto que sofreram por Cristo quando os evangélicos eram discriminados no Brasil e no mundo.

    Se hoje temos liberdade de culto, agradeço a Deus e também a estes desbravadores espirituais.

    O que ocorre é que eles na idade que estão não querem arriscar a própria salvação, mudando ou aperfeiçoando alguma coisa agora, no fim de suas carreiras espirituais.

    O que eu estou afirmando aqui são coisas que escuto da boca deles, quando viajo com os mesmos. É lógico que viajo apenas com alguns………

    Sei que vão me censurar, ironizar,mas, eles tem muito temor a Deus e, muita coisa das mudanças de hoje no mundo eles não tiveram oportunidade de assimilar.

    Baseado nisso, que tenho postado que daqui uns 7 anos a luz será diferente, pois os que estiverem no conselho de anciãos serão pessoas mais atualizadas com os dias atuais.

    Acreditar que pontos de doutrina contidos na biblia terão mudanças é certeza que nunca haverá.

    As coisas que já afirmei sobre bermudão,corte de cabelo, irmãs tocar na orquestra, calça comprida p/ mulher, tingimento de cabelos, uso de pequeninas jóias.

    Cultos específicos para irmãos em separado e de irmãs em separada, onde terão crentes médicos(as) para instruir sobre vida matrimonial e conjugal e mais algumas coisas que me esqueço e, que não são doutrinas Cristã apostólica terá nova luz…………….

    Isso que estou postando tenho certeza absoluta, pois estou postando o que está na cabeça de aproximadamente 80% do conselho de anciãos e diáconos com idade entre 35 e 70 anos. Afirmo coisas que ouço da boca deles, porque tenho ótima convivência com os tais !!

    Aqueles que discordam de mim não necessita me agredirem com palavras e ou IRONIAS.

    A educação que recebi dos meus pais ensinou-me respeitar o pensamento alheio !!

    Evangelista Cristão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: